Coronavírus. Espanha confirma segundo caso de infeção

por RTP
Cati Cladera - EPA

O Centro Nacional de Microbiologia espanhol confirmou, este domingo, o segundo caso de novo coronavírus no país. Trata-se de um dos quatro pacientes britânicos observados em Palma de Maiorca por suspeita de infecção. O Reino Unido confirmou, no mesmo dia, mais um caso positivo.

De acordo com o Centro de Microbiologia Espanhol os outros três pacientes, da mesma família britânica, não estão infetados.

Esta família britânica, um casal e duas filhas de 7 e 10 anos, encontra-se em isolamento e sob observação no hospital de Son Espases, em Palma de Maiorca.
Os quatro membros desta família foram observados em Mallorca na sexta-feira, depois de estarem em contato com uma pessoa infetada em França que foi posteriormente diagnosticado com o vírus.

Os resultados dos testes para a esposa e as duas filhas do paciente britânico deram negativos.
Primeiro caso positivo em Espanha já tinha sido diagnosticado no final de janeiro
: num turista alemão que teve contacto com o vírus na Alemanha mas adoeceu nas Canárias.

Também o Reino Unido confirmou este domingo mais um caso positivo de coronavírus, elevando para quatro o número de pessoas infetadas pelo novo vírus.

Só na Europa, já foram confirmados casos na Alemanha, Bélgica, França, Finlândia, Espanha, Reino Unido, Itália e Suécia.

Avião com 200 pessoas retiradas de Hubei chegou ao Reino Unido
O segundo e "último" avião fretado por Londres para repatriar cerca de 200 britânicos e outros cidadãos estrangeiros que ainda estavam na província chinesa de Hubei, epicentro do surto do novo coronavírus, aterrou este domingo no Reino Unido.

A bordo estavam cerca de 200 pessoas, britânicas e de outras nacionalidades, segundo informou, no sábado, o Ministério dos Negócios Estrangeiros britânico num comunicado. A ministra da Saúde francesa, Agnès Buzyn, já tinha confirmado na sexta-feira, que 38 cidadãos franceses seriam repatriados neste voo fretado pelas autoridades britânicas.

As 200 pessoas que chegaram agora ao Reino Unido têm de cumprir um período de isolamento de 14 dias.

O Reino Unido, que já confirmou quatro casos de infeção, aconselhou os cerca de 30 mil britânicos localizados na China a deixarem o território para minimizar a exposição ao novo coronavírus, e até à data já repatriou um total de 94 cidadãos britânicos da cidade de Wuhan.
Infetados em Macau podem ter alta

Também este domingo as autoridades de saúde de Macau admitiram que os nove infetados com o coronavírus no território poderão receber alta nos próximos dias.

Dos 10 casos confirmados desde o surto da epidemia, um já recebeu alta.

"São precisos mais testes, mas estamos otimistas", sublinhou o coordenador dos serviços de urgência do Centro Hospitalar Conde de São Januário.

Nas últimas 24 horas, segundo os dados fornecidos pelas autoridades, foram realizados pouco mais de 100 testes no Laboratório de Saúde Pública.

Quase 600 casos suspeitos do novo coronavírus chinês deram negativo em Macau nas últimas duas semanas, mantendo-se em nove o atual número de infetados.

O número de mortes por coronavírus aumentou este domingo para 811, superando as mortes por SARS em 2002-2003, com um total de casos a chegar a 37198, segundo dados oficiais.

Segundo a Comissão Nacional de Saúde da China, até ao fim do dia de sábado registaram-se 6188 casos graves, enquanto 2649 pessoas tiveram alta.
Tópicos
pub