Covid-19. Primeira-ministra da Nova Zelândia cancela casamento e anuncia novas restrições

por RTP
David Rowland - Reuters

A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Arden, anunciou este domingo que decidiu cancelar o próprio casamento, numa altura em que o país se prepara para a imposição de novas restrições devido à variante Ómicron.

Em conferência de imprensa, Jacinda Arden confirmou que o casamento com o apresentador de televisão Clarke Gayford seria adiado.

“A vida é assim. Não sou diferente, ouso dizer, de milhares de outros neozelandeses que tiveram impactos muito mais devastadores sentidos pela pandemia, o mais custoso dos quais a incapacidade de estar com um ente querido, mesmo que ele esteja gravemente doente. Isso supera em muito qualquer tristeza que eu sinta”, afirmou a primeira-ministra
A decisão pessoal da chefe de Governo neozelandesa é anunciada num momento em que o país aumenta o nível de restrições devido à emergência da variante Ómicron.

As novas restrições entram em vigor a partir deste domingo e foram anunciadas após um surto com nove casos da variante, incluindo uma família que participou num casamento em Auckland.

Assim, os eventos em espaços fechados ficam limitados a 100 pessoas. O número limite de pessoas passa para 25 caso os participantes não apresentem certificado de vacinação.

Nas escolas, as crianças a partir do 4º ano de escolaridade ficam obrigadas à utilização de máscara.

Na conferência de imprensa, Jacinda Arden admitiu que, com a presença da Ómicron, o número de infeções diárias deverá chegar aos 1.000 casos nas próximas semanas, números muito superiores aos que o país tem registado.

“Sei que ouvir este número de casos vai soar profundamente preocupante. Vamos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para reduzir o número de casos”, afirmou a primeira-ministra.

Desde o início da pandemia, a Nova Zelândia registou 15.104 casos e 52 mortes por Covid-19.

A Nova Zelândia tem sido um dos países do mundo com regras mais apertadas no controlo da pandemia, o que tem permitido manter um reduzido número de infetados e de óbitos.

Jacinda Arden apelou ainda a todos os neozelandeses para que procurassem receber a dose de reforço. O país tem uma elevada taxa de vacinação, com 92 por cento da população acima dos 12 anos vacinada com duas doses.
Tópicos
pub