Embaixada portuguesa em Ancara abre grupo de WhatsApp para emergências

por RTP
Dado Ruvic - Reuters

A representação diplomática de Portugal na capital da Turquia criou um grupo na plataforma de mensagens WhatsApp, que os cidadãos portugueses naquele país podem usar em caso de emergência. A embaixada apela aos que se encontram em território turco para que respeitem as recomendações da Proteção Civil.

Em mensagem divulgada no Portal Diplomático, a representação adianta ter sido criado o grupo de WhatsApp Sismo na Turquia - Embaixada de Portugal em Ancara.

"Para qualquer emergência poderá contactar a Embaixada de Portugal em Ancara através do número de telemóvel +90 532 605 13 57, ligado 24 horas por dia e também disponível em WhatsApp", lê-se no Portal Diplomático.

A embaixada aconselha os cidadãos que se encontrem na Turquia a manterem a calma, evitarem deslocações a zonas acidentadas e a obedecer às instruções da Proteção Civil local. A embaixada de Portugal em Ancara exprime "solidariedade e simpatia com todos os familiares e amigos das vítimas do sismo ocorrido esta noite [segunda-feira] na Turquia e expressa o desejo de que juntos conseguiremos ultrapassar esta tragédia mais fortes e unidos".

Morreram mais de cinco mil pessoas e pelo menos 19 mil ficaram feridas na Turquia e na Síria devido a dois sismos, um dos quais de magnitude 7.8 na escala de Richter, ocorridos na segunda-feira.

Os abalos fizeram desabar mais de 5.600 edifícios em solo turco. As equipas de resgate continuam a procurar sobreviventes entre os escombros. Operações dificultadas por chuva, neve e pela queda das temperaturas.

O número de mortos em áreas controladas pelo Governo na Síria ascende a 656, segundo o Ministério sírio da Saúde. No noroeste do país, controlado pelos rebeldes, pelo menos 700 pessoas morreram, de acordo com o balanço da organização não-governamental de defesa civil Capacetes Brancos.

O primeiro tremor de terra ocorreu a 33 quilómetros da capital da província de Gaziantep, no sudeste da Turquia, próximo da fronteira com a Síria, a uma profundidade de 17,9 quilómetros.

c/ agências
pub