Entrevista à diretora de operações da Frontex. "Dicotomia na fronteira é facilitação versus segurança"

por RTP
A portuguesa Ana Cristina Jorge assumiu em 2018 o cargo de diretora de operações da Frontex RTP

A Agência Europeia da Guarda de Fronteiras e Costeira identificou um risco de aproveitamento da guerra na Ucrânia pelas redes de tráfico humano, particularmente de mulheres e crianças. Para o combater, aumentou o apoio ao controlo de fronteira dos Estados vizinhos, ajuda que passou também pelo destacamento de especialistas na área do tráfico humano. Destaque de uma entrevista da diretora de operações da Frontex, Ana Cristina Jorge, aos enviados da RTP a Varsóvia, António Mateus e Rodrigo Lobo.

"A dicotomia na fronteira externa é a facilitação versus a segurança", sublinhou Ana Cristina Jorge nesta entrevista exclusiva.A portuguesa Ana Cristina Jorge assumiu em 2018 o cargo de diretora de operações da Frontex. Para o efeito, a inspetora cordenadora superior do SEF venceu um concurso entre peritos internacionais nesta área.

"A facilitação deve ser feita em segurança. Não deve haver bloqueio à passagem das pessoas, mas há que estar atento às situações em que as pessoas podem (por exemplo) estar a ser exploradas", completou.
António Mateus, Rodrigo Lobo - RTP

A Frontex está sediada em Varsóvia e é uma estrutura virada para a segurança e o controlo das fronteiras externas que, em Portugal, tem o SEF como ponto de contacto.
pub