Países Baixos. Estudo deteta microplástico em leite e carne de vaca e porco

por Carla Quirino - RTP
"Os seres humanos podem ser potencialmente expostos a partículas de plástico comendo carne bovina ou suína" Nathan Frandino - Reuters

Foram encontradas partículas microplásticas em três quartos da carne e produtos lácteos dos Países Baixos analisados por cientistas da Vrije Universiteit Amsterdam. O estudo-piloto demonstra que porcos e vacas são expostos a partículas de plástico via ração de animal.

Os mesmos investigadores que descobriram microplástico no sangue humano em março deste ano replicaram o método, mas agora em produtos de origem animal.

Durante a investigação da universidade de Amesterdão - Vrije Universiteit Amsterdam -, foram analisadas 12 amostras de sangue de vaca e 12 de sangue de porco e encontraram microplásticos em todas, incluindo polietileno e poliestireno.

Ao investigarem 25 amostras de leite provenientes de supermercados, tanques de leite em quintas e ordenha manual, 18 das amostras, incluindo pelo menos uma de cada tipo, estavam contaminadas.

Sete das oito amostras de carne bovina e cinco das oito amostras de carne suína continham microplásticos. "Ainda não se sabe se há algum risco toxicológico potencial dessas descobertas", disseram os autores do estudo.

Para se compreender melhor a razão por que estes resíduos vão para ao organismo dos animais, os investigadores também analisaram amostras de diferentes tipos de ração.

Em todas as 12 amostras de ração animal triturada que examinaram encontraram microplásticos. alimentos frescos testados não apresentaram partículas de plástico mensuráveis. A equipa de cientistas acredita que o consumo de ração que contenha microplástico pode ser uma das vias de contaminação dos porcos e vacas.

Os resultados apontam para uma cadeia alimentar já contaminada. "Há uma primeira indicação de que partículas de plástico estão presentes em concentrações detetáveis na ração animal moderna, nos animais que a comem e nos produtos agrícolas", realça o documento.

Uma possível consequência é o registo de "partículas de plástico na maioria - 75 por cento - da carne bovina e amostras de carne de porco" investigadas neste estudo. "Portanto, os seres humanos podem ser potencialmente expostos a partículas de plástico comendo carne bovina ou suína". Haverá menor risco, provavelmente, via leite, sublinham os resultados.

O estudo foi encomendado pela organização ambiental holandesa Plastic Soup Foundation que procura acrescentar dados científicos para tentar alertar consciências e travar a poluição na fonte.

"Com os microplásticos presentes na alimentação do gado, não é surpreendente que uma clara maioria dos produtos de carne e laticínios testados contenha microplásticos. Precisamos urgentemente de livrar o mundo do plástico na alimentação animal para proteger a saúde do gado e dos seres humanos", alerta Maria Westerbos, diretora da Plastic Soup Foundation, que descreve os resultados como "chocantes".


Estudo "Plastic Particles in Livestock Feed, Milk, Meat and Blood" | Vrije Universiteit Amsterdam

"Este estudo levanta sérias preocupações sobre a contaminação de nossa cadeia alimentar com microplásticos", afirmou Westerbos. Acrescentou que "os agricultores não são responsáveis por isso". De acordo com Westerbos, parece que alguns dos lotes que sobraram da indústria alimentícia são "processados em ração animal, embalagens e tudo mais". A fundação suspeita que "praticamente todos os bifes e hambúrgueres" contêm pequenos pedaços de plástico.

O estudo afirma a necessidade de aprofundar o tema para melhor conhecimento sobre extensão da exposição e dos possíveis riscos na saúde humana.

Com as quantidades de resíduos plásticos que continuam a ser despejadas no meio ambiente, contaminando todo o planeta, os seres vivos, de uma forma ou de outra, acabam por absorver minúsculas partículas através de alimentos e água, além de inalá-las.
Tópicos
pub