EUA. Quais foram os maiores tiroteios em massa deste século?

por Joana Raposo Santos - RTP
Até maio deste ano foram 213 os tiroteios em massa - ou seja, com quatro ou mais vítimas mortais - nos EUA. Chris Wattie - Reuters

O massacre desta semana numa escola primária no Texas, onde 19 crianças e dois professores morreram, foi o mais mortífero deste ano nos Estados Unidos. Dez dias antes, um outro fez uma dezena de mortos num supermercado em Buffalo, Nova Iorque. Até maio deste ano foram 213 os tiroteios em massa - assim chamados quando resultam em quatro ou mais vítimas mortais - nos EUA, número que revela uma tendência crescente, apesar do uníssono de vozes a apelar a leis mais apertadas para a posse de armas.

Dados do ano passado revelavam que, desde 1999, pelo menos duas mil pessoas tinham sido mortas ou feridas em tiroteios em massa nos Estados Unidos. Em 2019, foram mais as mortes por armas de fogo (em suicídios e homicídios) do que aquelas provocadas por acidentes de carro.

Em 2020, os ferimentos com armas de fogo foram a principal causa de morte de crianças e adolescentes nos EUA: mais de 4.300 menores morreram dessa forma, segundo o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças desse país. Se contarmos com adultos, foram mais de 45 mil os americanos a morrerem devido a armas, um aumento de 25 por cento em relação a 2015 e de 43 por cento em relação a 2010.

Numa nação onde a Constituição salvaguarda, na Segunda Emenda, o direito à posse de armas, foram estes os episódios mais fatais em cada um dos últimos 22 anos, segundo a revista independente de investigação Mother Jones e a agência Reuters:

  • 2021 – Tiroteio em massa num supermercado em Boulder (Colorado)
Um homem de 21 anos entrou neste supermercado e abriu fogo, matando dez pessoas. O suspeito foi acusado de dez homicídios em primeiro grau, o que no Colorado significa prisão prepétua. O jovem era já conhecido do FBI por estar ligado a outra pessoa sob investigação.

  • 2020 – Tiroteio em massa de Molson Coors (Milwaukee)
Um trabalhador da cervejaria Molson Coors Beverage, Anthony Ferrill, suicidou-se depois de matar outras cinco pessoas dentro das instalações da empresa. As motivações do atirador são, até hoje, desconhecidas.

  • 2019 – Tiroteio no Walmart de El Paso (Texas)
Um homem matou 22 pessoas e feriu 26 num supermercado da cadeia Walmart na cidade de El Paso, acabando detido pelas autoridades. Uma nota que se acredita ter sido escrita pelo autor dos disparos apelidava o ataque de “resposta à invasão hispânica do Texas”.

  • 2018 - Massacre de Parkland (Flórida)

Nikolas Jacob Cruz matou 17 pessoas e deixou outras 15 feridas ao disparar sobre alunos na escola secundária Marjory Stoneman Douglas, no sul da Flórida. O suspeito foi detido no local e confessou o tiroteio, tendo sido acusado de 17 homicídios premeditados. Descobriu-se mais tarde que Nikolas tinha feito, antes do ataque, publicações em rede sociais nas quais admitia querer tornar-se num atirador profissional em escolas.

  • 2018 – Tiroteio em massa de Thousand Oaks (Califórnia)
Um antigo veterano da Marinha norte-americana matou 12 pessoas e feriu 22 num bar em Thousand Oaks, nos subúrbios de Los Angeles. No final, cometeu suicídio.

  • 2017 – Tiroteio em massa na avenida Las Vegas Strip (Las Vegas)
Cinquenta e oito pessoas morreram e 546 ficaram feridas depois de um homem abrir fogo, por mais de 15 minutos, sobre um festival de música country. O atirador disparou desde o seu quarto de hotel, num 32.º andar, e tirou a própria vida no final.

  • 2016 – Massacre numa discoteca em Orlando (Flórida)
Um atirador identificado como Omar Mateen fez 49 mortos e 53 feridos na discoteca Pulse, em Orlando, numa festa dedicada a música latina. Durante o tiroteio, o homem ligou à polícia e jurou lealdade ao autoproclamado Estado Islâmico. Acabou abatido pelas autoridades.

  • 2015 – Tiroteio em massa de San Bernardino (Califórnia)
Um casal matou 14 pessoas e feriu outras 21 numa festa da empresa em San Bernardino. O homem e a mulher acabaram abatidos pela polícia quatro horas depois de terem fugido do local do crime. Segundo as autoridades, o casal terá plantado três bombas caseiras no edifício, mas estas acabaram por não explodir.

  • 2014 – Tiroteio em massa de Isla Vista (Califórnia)
Elliot Rodger, de 22 anos, esfaqueou os companheiros de casa e depois dirigiu-se aos arredores do campus universitário de Santa Bárbara, na Califórnia, onde matou a tiro seis pessoas e feriu 21. O autor teria síndrome de Asperger.

  • 2013 – Tiroteio em massa no Washington Navy Yard (Washington)
Um ex-reservista da Marinha norte-americana fez 12 mortos e oito feridos na base naval de Washington Navy Yard, acabando morto pela polícia.

  • 2012 – Massacre da escola primária Sandy Hook (Connecticut)
Vinte alunos e seis professores morreram nesta escola primária depois de Adam Lanza, de 20 anos, ter disparado dentro das instalações. Antes, tinha morto a própria mãe em casa. Os alunos vítimas do tiroteio tinham entre seis e sete anos. O atirador acabou por se suicidar no local.

  • 2011 – Tiroteio em massa de Seal Beach (Califórnia)
Oito pessoas morreram e uma ficou ferida num tiroteio num salão de beleza em Seal Beach, às mãos de Scott Evans Dekraai, que quereria vingar-se da ex-mulher – uma das vítimas. O homem foi condenado a prisão perpétua.

  • 2010 – Tiroteio em massa na Hartford Beer Distributor (Connecticut)
Num armazém da empresa de distribuição de cerveja Hartford, nove pessoas morreram e duas ficaram feridas depois de o ex-funcionário Omar Sheriff Thornton ter, alegadamente, querido vingar-se devido à abertura de um processo disciplinar. Acabou por suicidar-se.

  • 2009 – Massacre de Fort Hood (Texas)
Um antigo psiquiatra e membro do Exército norte-americano abriu fogo em Fort Hood, uma base militar no Texas, matando 13 pessoas e ferindo 31. Nidal Hasan foi condenado à morte em 2013.

  • 2008 – Tiroteio em massa no Kirkwood City Council (Missouri)
Seis mortos e dois feridos foi o balanço final depois de um homem ter disparado sobre o público que assistia a uma reunião no Câmara da cidade de Kirkwood. O presidente da Câmara foi uma das vítimas mortais.

  • 2007 – Massacre na Virginia Tech (Virgínia)
Seung-Hui Cho, finalist na Universidade Virginia Tech, matou 32 colegas e professores em dois ataques separados, acabando por cometer suicídio no final. Dezassete estudantes ficaram feridos.

  • 2006 – Tiroteio em massa em Goleta (Califórnia)
Jennifer San Marco, antiga funcionária dos correios de Goleta, na Califórnia, matou sete pessoas e tirou a própria vida nas instalações dos mesmos correios.

  • 2005 – Massacre de Red Lake (Minnesota)
Jeff Weise, de 16 anos, matou o avô e a namorada do avô antes de se dirigir até à escola secundária de Red Lake, onde tinha estudado. Lá, matou mais sete pessoas e feriu cinco. Também este jovem acabou por se matar no local dos disparos.

  • 2004 – Tiroteio em massa no concerto dos Damageplan (Ohio)
Quatro pessoas morreram e três ficaram feridas na discoteca Alrosa Villa, onde a banda Damageplan estava a dar um concerto. Três minutos depois de abrir fogo sobre a plateia, o atirador foi morto pela polícia.

  • 2003 – Tiroteio em massa na Lockheed Martin (Missouri)
Douglas Williams, trabalhador da fábrica de produtos aeroespaciais Lockheed Martin, disparou sobre 14 colegas de trabalho, matando seis deles, e cometeu suicídio.

  • 2001 – Tiroteio em massa na Navistar (Illinois)
Um trabalhador da fabricante de veículos Navistar foi, neste ano, condenado a uma pena de prisão por alegadamente ter roubado ao empregador. O homem, então de 66 anos, entrou na fábrica e abriu fogo, matando quatro pessoas antes de se suicidar.

  • 2000 – Massacre de Wakefield (Massachusetts)
Sete pessoas morreram depois de um funcionário da Edgewater Technology, empresa de tecnologia digital, ter atirado sobre sete colegas. Todos acabaram por morrer e o atirador foi condenado a sete penas de prisão perpétua.

  • 1999 - Massacre de Columbine (Colorado)
Eric Harris e Dylan Klebold, alunos na escola secundária de Columbine, mataram 12 alunos e um professor, ferindo ainda 21 pessoas. As motivações dos autores permanecem até hoje incertas. Depois do tiroteio, os dois jovens cometeram suicídio na biblioteca da escola.

pub