Filipinas. Presidente incita cidadãos à violência contra funcionários corruptos

| Mundo

|

O presidente das Filipinas convidou os cidadãos a agredirem qualquer funcionário que vissem receber suborno ou prometer imunidade a alguém acusado, desde que não o matem. Rodrigo Duterte esclareceu ainda que quem o fizer não será preso.

“Se pagar um imposto, uma taxa, ou obtiver um certificado, e os funcionários lhe pedirem um suborno, bata-lhes”, este foi o apelo de Duterte aos cidadãos do seu país.


“Se possui alguma arma, pode disparar, mas não chegue a matá-lo, porque durante o processo pode não receber perdão ", disse o líder, acrescentando que quem o fizer “não irá para a prisão, apenas será punido fisicamente”.

O presidente é conhecido pelos seus comentários excêntricos e tomadas de posição polémicas. Entre elas, a violenta guerra às drogas, que tem sido regularmente criticada por grupos de direitos humanos, pela ONU e pela comunidade internacional em geral.

Desde o começo desta “guerra às drogas”, iniciada em julho de 2016, estima-se que cerca de 5.000 pessoas tenham sido mortas, embora grupos de direitos humanos afirmem que o número pode ser mais do dobro.

No seu apelo, Duterte distinguiu entre “sinais de gratidão” e subornos, dizendo que os funcionários podem “aceitar presentes, simbólicos e nominativos”, sendo estas expressões que constam “nas práticas de antissuborno e corrupção.”

No entanto, o vice-presidente Leni Robredo e o senador Panfilo Lacson alertaram para este procedimento, o qual “pode gerar corrupção na polícia”.

A informação mais vista

+ Em Foco

A RTP ouviu os seis lideres partidários sobre temas que escapam aos programas políticos e que contribuem para definir o perfil dos candidatos.

    Estamos em plena campanha para as Legislativas. Não queremos aqui influenciar o seu voto, mas tratar as dúvidas que nos apareceram a nós e que podem também ser as suas.

      Na semana em que se assinala o início da II Guerra Mundial, a RTP conta histórias de portugueses envolvidos diretamente no conflito.

        Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.