Futuro ministro da Economia contradiz Bolsonaro e nega renegociação da dívida

| Mundo

O futuro ministro da Economia do Governo de Jair Bolsonaro, Paulo Guedes, afirmou hoje à imprensa que "está fora de questão" renegociar a dívida brasileira, contrariando as intenções proferidas pelo Presidente eleito.

"Está fora de questão renegociar a dívida, está fora de questão. O que existe é uma preocupação com a dívida. Por isso, faremos reformas e faremos o que empresas fazem, vender ativos", disse à imprensa o economista Paulo Guedes, ao chegar ao Ministério da Economia, onde se encontrou com o atual titular da pasta, Eduardo Guardia.

No entanto, o recém-eleito Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, disse na segunda-feira, em entrevista ao canal televisivo Bandeirantes, que a dívida interna do Brasil não é impagável mas que precisaria de ser renegociada.

Bolsonaro acrescentou ainda que seria o seu ministro da Economia a encarregar-se do assunto.

O futuro ministro da Economia afirmou ainda que pretende acelerar as privatizações para libertar recursos e ajudar não só no ajuste fiscal, mas também no alívio a algumas áreas que hoje reclamam a falta de verbas: "Em vez de pagar juros da dívida, vamos dar dinheiro para saúde e educação", disse Paulo Guedes, citado pelo jornal Estadão.

Para o economista, o problema do Brasil nos últimos 30 anos foi o "descontrolo" em gastos públicos, questão em que se promete focar no seu mandato.

Para além da confirmação de Paulo Guedes para a pasta da Economia, até ao momento já foram adiantados por Bolsonaro os nomes do deputado federal Onyx Lorenzoni para ocupar o Ministério da Casa Civil, o astronauta e major da reserva Marcos Pontes para o Ministério da Ciência e Tecnologia, o general na reserva Augusto Heleno para a Defesa e o do juíz Sergio Moro para a pasta da Justiça.

O candidato do Partido Social Liberal (PSL, extrema-direita), Jair Messias Bolsonaro, 63 anos, capitão do Exército reformado, foi eleito no passado dia 28 de outubro, na segunda volta das eleições presidenciais, o 38.º Presidente da República Federativa do Brasil, com 55,1% dos votos, derrotando o candidato do Partido dos Trabalhadore (PT), Fernando Haddad, que teve 44,9% dos votos.

Tópicos:

Ciência, Exército, Jair Bolsonaro, Trabalhadore PT,

A informação mais vista

+ Em Foco

O criador dos óculos de realidade virtual está a desenvolver tecnologia que vai transferir jogos de vídeo para os campos de batalha.

Reunimos aqui reportagens sobre as forças de elite portuguesas, emitidas por ocasião dos 100 anos do Armistício que pôs fim à I Guerra Mundial.

    O coração de Lisboa foi palco do maior desfile militar dos últimos 100 anos no país, por ocasião do centenário do Armistício que pôs fim à I Grande Guerra.

      Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.