Ingenuity. Primeiro voo em Marte preparado para hoje

por Nuno Patrício - RTP
Foto: NASA/JPL - DR

Está tudo preparado para que, esta segunda-feira de manhã, o pequeno helicóptero espacial da NASA Ingenuity realize o seu primeiro voo teste na superfície marciana. Será um pequeno voo para o drone espacial, mas um grande salto na história das tecnologias espaciais.

O teste decorrerá por volta das 11h15, hora portuguesa e vai contar com transmissão em direto da sala de controlo da NASA através do Youtube.

Neste direto os espetadores vão poder enviar perguntas por meio da hashtag #MarsHelicopter nas redes sociais. E mais tarde, por volta das 15h00 está agendada um conferência de imprensa onde os especialistas da NASA vão poder dar mais explicações sobre como decorreu este voo teste.



A espectativa é grande, já que existe um período de desfasamento temporal desde o momento exato do voo e a chegada dos primeiros dados e imagens ao centro de controlo na Terra.

Este teste pode voltar a ser adiado. Inicialmente previsto para 8 de abril, e posteriormente para 11, a data foi adiada sendo adiada por problemas de atualização dos softwares dos rotores do helicóptero.


As condições atmosféricas podem também ser fator para um novo adiamento.

No entanto, se não houver imprevistos, esta segunda-feira a ciência e a exploração espacial podem fazer história.
Poucos segundos

O Ingenuity ("Ingenuidade") é um mini helicóptero ou drone com pouco mais de meio metro de altura e com um peso de 1800 gramas.

Composto com duas hélices de 1,2 metros, feitas de uma fibra de carbono ultra leve e com um corpo cubico este drone espacial possui uma fonte de alimentação composto por um painel solar que carrega três pequenas baterias de Lítio.

O teste vai ser curto e durará cerca de 30 segundos. O tempo suficiente para analisar a resistência atmosférica de Marte.

A equipa da NASA quer que o Ingenuity apenas suba na vertical e atinja cercac de três metros de altura. Caso este teste seja bem-sucedido, vão ser efectuados vários voos durante cerca de um mês, mas já com deslocação na horizontal, sempre sob controlo remoto do rover Preserverance.

Para já o pequeno helicóptero espacial aguentou as baixas temperaturas que Marte oferece durante as noites geladas (-90º) e prepara-se agora para demonstrar ser capaz para o objectivo para o qual foi construído.

Neste voo, as hélices vão ter de girar de forma extremamente rápida para conseguir levantar voo numa atmosfera que tem apenas um por cento da densidade do ar terrestre ao nível do mar. Voar em Marte seria uma espécie de voar por cá a mais de 30 mil metros de altitude.

Agora é esperar e acreditar que o sonho de voar, que sempre povoou a mente humana, pode a partir de hoje também ser uma realidade noutros planetas. Marte é apenas o primeiro.
Tópicos
pub