Irão avisa Israel: basta de "ameaças provocadoras"

por RTP
Teerão garante que as ameaças do regime israelita são sistemáticas e constituem uma violação da lei internacional. Lisi Niesner - Reuters

O embaixador iraniano para as Nações Unidas alertou esta quinta-feira para o facto de, "nos últimos meses, o número e intensidade das ameaças provocadoras e atrevidas do regime israelita" estarem a aumentar a um nível alarmante. Teerão terá mesmo prometido "enfrentar o regime" de Naftali Bennett.

Segundo a agência iraniana de notícias Tasnim News, a queixa do embaixador iraniano foi enviada ao diretor do Conselho de Segurança da ONU.

Esta não é a primeira vez que Majid Takht Ravanchi aponta o dedo a Israel. Há algumas semanas, o responsável criticou um discurso do primeiro-ministro Naftali Bennett, dizendo que este estava “repleto de mentiras”, pois acusava o Irão de tentar dominar Israel.

Agora, a tensão entre as duas nações deve-se ao facto de, segundo Ravanchi, o chefe das Forças de Defesa de Israel ter admitido “planos operacionais” contra Teerão. “Operações para destruir as capacidades do Irão em várias áreas vão continuar a qualquer momento”, terá dito o militar.

Os responsáveis iranianos já expressaram as suas queixas contra as ameaças israelitas em cartas enviadas ao Conselho de Segurança da ONU em fevereiro, abril, agosto e setembro, indica o Jerusalem Post.

Teerão garante que as ameaças do regime israelita são sistemáticas e constituem uma violação da lei internacional, em particular do Artigo 2(4) da Carta das Nações Unidas, segundo o qual “todos os membros devem abster-se, nas suas relações internacionais, de ameaçar ou de usar a força contra a integridade territorial ou independência política de qualquer Estado”.

Para o Irão, “o facto de o regime israelita continuar a destruir as capacidades do país prova, sem qualquer dúvida, que tem sido o responsável pelos ataques terroristas contra o nosso pacífico programa nuclear no passado”.

“Dada a história nefasta das práticas desestabilizadoras do regime israelita na região, assim como as suas operações secretas contra o programa nuclear iraniano, o regime deve ser enfrentado para que terminem todas as ameaças e comportamentos disruptivos”, afirmou o executivo iraniano, segundo o Tasnim News.
pub