Militar português morreu em atentado no Mali

| Mundo

O ataque teve lugar pelas 16h00 de domingo no Hotel Le Campement Kangaba, localizado nas imediações de Bamako
|

Um ataque terrorista perpetrado no domingo perto de Bamako provocou a morte de um militar português ao serviço da missão da União Europeia no Mali, confirmou esta segunda-feira o Estado-Maior General das Forças Armadas.

O ataque teve lugar pelas 16h00 de domingo no Hotel Le Campement Kangaba, localizado nas imediações de Bamako.

Um segundo operacional portugOs chefes do Estado-Maior General das Forças Armadas e do Estado-Maior do Exército apresentaram condolências à família do militar português, assim como o ministro da Defesa.uês “saiu ileso”, lê-se num comunicado do Estado-Maior General das Forças Armadas.

“O local onde ocorreu o ataque (Hotel Le Campement Kangaba) é reconhecido e autorizado pela EUTM Mali como Wellfare Center entre os períodos de atividade operacional dos militares que prestam serviço neste país. Encontravam-se no local vários militares da Força Internacional de diversos países, entre os quais dois Portugueses”, explica a nota.

Foi entretanto instaurado um inquérito com o intuito de “esclarecer as circunstâncias que envolveram o ataque terrorista em Bamako”.

A família do militar vitimado pelo atentado, sublinha o Estado-Maior, “já está informada deste infausto incidente, estando em curso o apoio psicológico à mesma”.
“Profundo pesar”
Também o Exército emitiu um comunicado em que identifica o militar que perdeu a vida no Mali. Trata-se do sargento-ajudante Gil Fernando Paiva Benido. O mesmo ramo das Forças Armadas expressa “profundo pesar e consternação”.

“O Sargento-Ajudante Paiva Benido integrava o Contingente Nacional na Missão de Treino da União Europeia no Mali e faleceu devido a confrontos ocorridos na sequência de um ataque de elementos rebeldes que provocou outras baixas entre elementos de outros contingentes”, descreve-se no comunicado.

“O Exército confirma que outros militares ficaram feridos, incluindo um português, mas que o mesmo já se encontra completamente recuperado”.

“O apoio psicológico aos familiares está a ser disponibilizado através do Centro de Psicologia Aplicada do Exército”, conclui o texto.


“Consternação”
Do gabinete do ministro da Defesa Nacional saiu igualmente um comunicado a manifestar “profundo pesar pelo falecimento do militar do Exército Português”.O sargento-ajudante Paiva Benido, casado e com duas filhas menores, integrava o contingente nacional na Missão de Treino da União Europeia no Mali, formado por dez elementos.

“Foi com consternação que o Ministro da Defesa Nacional recebeu esta manhã a notícia e visitou, juntamente com o Chefe do Estado Maior do Exército, General Rovisco Duarte, a família do militar falecido para prestar os seus mais profundos sentimentos e solidariedade nesta hora de dor e sofrimento”, indica a nota do Ministério de Azeredo Lopes.

“Portugal tem presentemente no Mali uma Força Nacional Destacada de 10 militares a prestar serviço na missão da União Europeia (EUTM). Encontravam-se dois militares portugueses no local onde foi levado a cabo o ataque, sendo que o segundo militar português encontra-se bem juntamente com todos os restantes militares portugueses que estão no Mali”, acrescenta o comunicado.

“Este é, infelizmente, mais um dia de luto para o Exército, para as Forças Armadas e para Portugal e o Ministro da Defesa Nacional e o Governo reiteram à família do militar falecido as suas mais sinceras e sentidas condolências”, afirma, por último, o Ministério.

O ministro da Segurança do Mali, o general Salif Traoré, adiantou esta segunda-feira, em declarações citadas pela France Presse, que foram abatidos quatro dos atacantes. Outros cinco suspeitos foram detidos.

Tópicos:

Atentado, EMGFA, Mal, Mali, Militar, Português,

A informação mais vista

+ Em Foco

Os dados do sistema de Informação de Fogos Florestais da União Europeia (EFFIS) indicam que só entre os dias 14 e 15 de outubro arderam em Portugal continental cerca de 200 mil hectares.

    Na primeira entrevista pós-autárquicas, à Antena 1, Jerónimo de Sousa não poupou nas palavras. Afirmou que o "Governo ficou mal na fotografia e subestimou a situação" dos fogos.

    Impostos, orçamentos, metas para o próximo ano. A RTP descodifica a proposta de Orçamento do Estado apresentada pelo ministro das Finanças esta sexta-feira.

      Acionar o artigo 155 da Constituição espanhola representa um momento único na História de Espanha. O Governo de Madrid já definiu os setores que quer controlar de imediato.