Morreu Mário Carrascalão

| Mundo

Mário Carrascalão foi governador durante a ocupação indonésia e vice-primeiro-ministro após a independência
|

O ex-vice-primeiro-ministro de Timor-Leste Mário Carrascalão morreu na última madrugada no Hospital Nacional Guido Valadares, em Díli, informou um familiar. O político fez 80 anos a 12 de maio.

Mário Carrascalão, que foi governador durante a ocupação indonésia e vice-primeiro-ministro após a independência, faleceu um dia depois de ser galardoado com o Grande Colar da Ordem de Timor-Leste, a mais alta condecoração do país, entregue pelo chefe de Estado, Taur Matan Ruak.

Indicações preliminares apontam que Mário Carrascalão terá sofrido um ataque cardíaco quando conduzia sozinho o seu carro privado, na zona do bairro do Farol, em Díli. O automóvel está ainda no local, tendo subido o passeio e embatido contra um poste, informou a agência Lusa.

Desconhece-se se o acidente ocorreu antes ou depois do ataque cardíaco.

Testemunhas relataram que transeuntes transportaram Mário Carrascalão para o hospital, onde equipas médicas confirmaram o seu óbito.

"Ainda ontem estivemos todos a jantar em família e ele estava muito bem-disposto, foi galardoado e estávamos a celebrar", contou a irmã Ângela Carrascalão.

Uma multidão começou já a juntar-se no espaço mortuário do Hospital Nacional Guido Valadares.

Tópicos:

Díli, Mário Carrascalão, Timor-Leste,

A informação mais vista

+ Em Foco

Os portugueses escolhem os seus representantes locais a 1 de outubro. Acompanhe aqui a campanha, os debates e toda a informação sobre as eleições Autárquicas.

    Veja ou reveja aqui os debates na RTP com os candidatos às presidências das câmaras municipais das 18 capitais de distrito de Portugal Continental. A série é transmitida até 14 de setembro.

      Natalidade, envelhecimento, turismo, agricultura, emigração, pobreza, saúde, desigualdades. A Antena 1 fixa o país em duas dezenas de retratos no caminho para as eleições autárquicas.

        A Alemanha aproxima-se da data do escrutínio de 24 de Setembro com uma economia próspera: muita exportação, muita construção, receitas fiscais abundantes, orçamentos públicos excedentários. O reverso da medalha é a degradação de condições sociais para uma parte significativa da população.