Morreu o sul-africano Pik Botha, ex-chefe da diplomacia do Apartheid

| Mundo

|

Roelof "Pik" Botha, antigo ministro dos Negócios Estrangeiros da África do Sul durante o regime do Apartheid, morreu em Pretória aos 86 anos, noticiam hoje os órgãos de comunicação social sul africanos.

O filho, Piet Botha, confirmou a morte ao grupo de comunicação social News24 afirmando que o antigo ministro morreu enquanto dormia durante a noite de hoje.

"A mulher, Ina, estava ao seu lado. [Pik Botha] encontrava-se doente há três semanas", disse Piet Botha.

Pik Botha dirigiu a diplomacia sul-africana entre 1977 até ao fim do Apartheid, em 1994, como membro do Partido Nacional que instituiu o regime racista sul-africano em 1948.

Mais tarde integrou o governo de Nelson Mandela, líder do Congresso Nacional Africano (ANC) democraticamente eleito, com a tutela das minas.

Com a alcunha de "Pik" (pinguim), Botha incitou em 1990 o então chefe de Estado Frederik de Klerk a libertar Nelson Mandela que se encontrava preso há 27 anos.

Em 1986, foi severamente repreendido pelo presidente Pieter Willem Botha (sem qualquer relação de parentesco apesar do apelido) por ter afirmado que um dia a África do Sul seria "um Estado governado por um negro".

Tópicos:

Africano, Apartheid, Frederik, Pretória,

A informação mais vista

+ Em Foco

Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.

    Em entrevista exclusiva à RTP, Flávio, um dos filhos de Jair Bolsonaro, afirmou que o candidato do PT Fernando Haddad devia juntar-se a Lula da Silva.

    Na Venezuela, a falta de medicamentos está a fazer desesperar a população. A reportagem é dos enviados à Venezuela Sérgio Ramos e Pedro Sá Guerra.

    Faltam seis meses para a saída do Reino Unido da União Europeia. Dia 29 de março de 2019 é a data para o divórcio. A RTP agrega aqui uma série de reportagens sobre o que o Brexit pode significar.