Sociedade civil une-se em apelos por oxigénio para Manaus

por Mário Aleixo - RTP
De vários quadrantes da sociedade brasileira surgiram vozes de apoio aos hospitais de Manaus Bruno Kelly - Reuters

A falta de oxigénio nos hospitais de Manaus, no Brasil, levou vários políticos, artistas e clubes desportivos a unirem-se em apelos e doações para ajudar os pacientes internados naquelas unidades de saúde, que entraram em colapso.

A situação, considerada caótica por médicos e familiares de pacientes, obrigou o governador do estado do Amazonas, cuja capital é Manaus, a transferir os doentes infetados com Covid-19 para outras cidades do país.

"Expresso a minha gratidão como ministro de Estado pela atitude humanitária dos governadores que aceitaram de imediato receber pacientes com Covid-19 vindos do Amazonas. Eles serão alocados inicialmente em hospitais universitários federais para um atendimento justo. Ninguém fica para trás! Somos uma só Nação!", escreveu no Twitter o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Ramos.

Vários atores, cantores, comediantes e "youtubers" comoveram-se com a situação, que deixou sem oxigénio centenas de pessoas no Amazonas, e usaram as redes sociais para apelar à ação política e anunciar a doação de cilindros de oxigénio.
Pedro Sá Guerra, correspondente da RTP no Brasil

"Providenciando 20 cilindros de 50 litros de oxigénio para distribuir nas unidades mais urgentes em Manaus! Alô meus amigos artistas! Na hora de fazer espetáculos é tão bom quando o público nos recebe com carinho, não é? Vamos retribuir?", apelou no Twitter Whindersson Nunes, um dos maiores "youtubers" brasileiros.

Além de Whindersson, também artistas brasileiros como Tata Werneck, Marília Mendonça e Wesley Safada anunciaram a doação de cilindros de oxigénio.

Imagens que circulam nas redes sociais mostram as próprias famílias de pacientes a transportar para os hospitais tanques de oxigénio que adquiriram por conta própria.

No universo desportivo, vários clubes de futebol usaram a "hashtag" #OxigenioParaManaus para chamar a atenção para a crise de saúde que se abate sobre o estado do Amazonas, no norte do país.

"Uma pausa neste dia de comemorações para unir a nossa voz num pedido de socorro: #OxigenioParaManaus", escreveu no Twitter o Santos Futebol Clube.

"Fiel, é hora de chamar atenção para um assunto muito grave. #OxigenioParaManaus", apelou por sua vez o clube Corinthians nas redes sociais.

A falta de oxigénio nos hospitais do Amazonas fez com que vários políticos responsabilizassem o atual governo, presidido por Jair Bolsonaro, que classificaram de "incompetente".Venezuela responde presente
O Governo venezuelano colocou-se "imediatamente à disposição" do estado brasileiro do Amazonas oxigénio para fazer face à situação de emergência nos hospitais da região, anunciaram fontes oficiais na noite de quinta-feira.

"Seguindo instruções do Presidente Nicolás Maduro, conversámos com o governador do estado do Amazonas, Wilson Lima, para disponibilizar imediatamente o oxigénio necessário para atender a contingência sanitária em Manaus. Solidariedade latino-americana acima de tudo!", anunciou na rede social Twitter o ministro venezuelano de Relações Exteriores, Jorge Arreaza.

c/ agências




Tópicos
pub