Tribunal diz que Berlusconi foi vítima da máfia siciliana

por Lusa

Roma, 25 abr (Lusa) -- O ex-primeiro-ministro de Itália, Sílvio Berlusconi, terá pago "elevadas somas" de dinheiro à máfia siciliana na década de 70, afirmou um tribunal italiano, que qualifica o ex-chefe de governo como uma vítima da Cosa Nostra.

O antigo chefe de governo, que é ligado há vários anos à máfia, é descrito pelo tribunal como "uma vítima que agiu por necessidade" de se proteger a si próprio e à sua família num período de violência e instabilidade em Itália.

Sílvio Berlusconi "pagou elevadas somas de dinheiro pela sua proteção e da sua família", disse o tribunal, numa decisão hoje publicada pela comunicação social italiana.

O documento com 146 páginas que foi divulgado esta terça-feira explica a decisão do tribunal em março de revogar a condenação de um dos colaboradores mais próximos de Berlusconi, o senador Marcello Dell`Utri, por associação ao crime organizado.

O colaborador terá "mediado" a relação entre Berlusconi e o crime organizado, diz o tribunal.

Marcello Dell`Utri foi "o autor de um acordo de proteção e colaboração entre Berlusconi e a máfia", disse o tribunal.

Este pacto com a Cosa Nostra terá também levado Berlusconi a contratar um famoso gangster, Vittorio Mangano, para alegadamente trabalhar num estábulo da sua villa em Arcore na década de 70.

Mangano foi mais tarde condenado por homicídio.

Tópicos