Ucrânia acusa Rússia de abrir fogo contra navios no Mar Negro

por RTP

A Ucrânia acusou este domingo a Rússia de abrir fogo contra navios ucranianos no Mar Negro e de apreender ilegalmente os mesmos. De acordo com a Marinha ucraniana, dois marinheiros ficaram feridos. A Rússia não respondeu à acusação mas agências russas revelaram que o país tinha provas irrefutáveis de "uma provocação" da Ucrânia.

Petro Poroshenko, persidente ucraniano, convocou, de imediato, uma reunião com os seus conselheiros militares para discutir a situação.

De acordo com a agência Reuters, uma nova crise entre os dois países começou este domingo, depois de a Rússia ter parado três navios ucranianos que entraram no mar de Azov e colocaram um dos navios perto de uma ponte controlada pela Rússia.

A Marinha Ucraniana disse nas redes sociais que dois marinheiros ficaram feridos depois de a Rússia abrir fogo sobre os navios. Para mais, a Ucrânia acusa os russos de o fazerem depois de retirarem os navios no regresso a Odessa.

Autoridades de ambos os países agora acusam-se mutuamente de ações provocatórias e retaliação, depois da crise de 2014, que resultou na anexação da Crimeia por parte da Rússia.

A guarda costeira russa acusou a Ucrânia de não informar qual seria a rota dos navios, algo que Kiev negou de forma veemente. A Rússia acusa também o país vizinho de manobras arriscadas e de ignorar ordens com o intuito de aumentar tensões.

Políticos russos seguem na mesma senda de acusações e afirmam que o incidente ucraniano pareceu ter sido calculado para que Poroshenko aumente a sua popularidade antes da eleição do próximo ano.
Tópicos