Vaga de calor. Incêndio devastou a localidade canadiana de Lytton

por Cristina Sambado - RTP
Rivers Remix Society/ Reuters

Depois de três dias de calor implacável, a localidade canadiana de Lytton foi assolada pelas chamas que devastaram a localidade. Mais de mil pessoas fugiram das residências. As autoridades procuram agora prestar ajuda urgente à comunidade. Não há, para já, a confirmação de vítimas mortais.

O incêndio alastrou rapidamente a toda a localidade e as autoridades não tiveram tempo de organizar a evacuação de edifícios e habitações. Segundo o Guardian, os residentes viram colunas de fumo a preencher as colinas a agarraram no que puderam para abandonar o local.

As chamas destruíram a maioria das habitações e algumas estruturas centrais, como a estação central de ambulâncias e o destacamento da Royal Canadian Mounted Police (RCMP)
, na vila do Fraser Canyon na província canadiana de Colômbia Britânica. Um membro do Governo local revelou à televisão canadiana CBC News que 90 por cento da localidade ardeu.

Nas redes sociais os habitantes da localidade de 250 residentes procuram informações sobre familiares, amigos e animais de estimação. O desafio das autoridades é tentar confirmar para onde os moradores se deslocaram e tentar conectá-los com as famílias.

A vila de Lytton, localizada a 260 quilómetros de Vancouver, registou na passada terça-feira 49.6ºC.“Estamos a receber chamadas de pessoas à procura de familiares e amigos e é muito difícil devido às falhas na rede elétrica e à desativação das redes de telemóvel. Mas estamos a trabalhar para resolver a situação”, afirmou Scott Hildebrand, o diretor administrativo da Thompson-Nicola Regional District, à CBC News.

Em comunicado, a polícia montada de Lytton frisa que não é seguro regressar à localidade e mais de 100 agentes foram destacados para ajudar na investigação.

“A situação está a ser continuamente avaliada e, quando for seguro entraremos na área ardida para realizar buscas de pessoas feridas ou desaparecidas”, disse Dwayne McDonald, comandante da RCMP.

Já o ministro da Defesa federal, Harjit Sajjan, afirmou que o Governo federal está a trabalhar com o Governo da Colômbia Britânica sobre a forma de prestar apoio.

“Também veremos que apoios serão necessários para a reconstrução”, acrescentou Harjit Sajjan.

Um vídeo captado por residentes e divulgado pela CBC News mostra a população a fugir da localidade com as chamas a destruírem vários edifícios. Ruínas carbonizadas eram o que restava na principal rua da vila.


“A nossa cidade foi-se”
Edith Loring-Kuhanga, administradora na escola de Stein Valley Nlakapamux, escreveu no Facebook: “A nossa pobre cidade de Lytton foi-se”. E acrescenta que pegou na mala, numa almofada e no computador e fugiu.

“Entrámos nos nossos carros e começámos a conduzir. Não tínhamos eletricidade nem internet em Lytton e toda a gente estava a tentar contactar com outras pessoas”, escreveu ainda.


A residente de Lytton referiu que a comunidade está “em choque” porque acabou por “perder tudo”. No entanto, as suas últimas publicações dão conta de um abrandar da situação e de algumas imagens do centro de acolhimento onde muitos residentes — e os poucos pertences que conseguiram levar com eles — se encontram.
População procura refúgio nas localidades vizinhas
A vila de Lillooet, ao norte de Lytton, recebeu centenas de pessoas que ficaram sem casa. Um representante distrital revelou ter uma contagem oficial de 118, mas o número será provavelmente maior.

Outros habitantes da vila destruída pelo fogo procuraram refúgio na comunidade vizinha de Boston Bar. Pelo menos 52 pessoas foram para um centro de apoio a desalojados em Merrit, a leste de Lytton.

As autoridades estão a pedir aos desalojados para que se registem nos centros de apoio para que possam ser contabilizados.
pub