António Costa considera "positivo" novo nó e duplicação do terminal de contentores

| País

O presidente da Câmara de Lisboa, António Costa (PS), classificou hoje de positivas as intervenções anunciadas pelo Governo para Alcântara, nomeadamente a duplicação do terminal de contentores e o novo nó rodoviário e ferroviário.

"A indicação que nós temos é que não se trata de um novo terminal [de contentores] mas de um rearranjo do terminal existente de forma a duplicar a sua capacidade. Isso parece-nos positivo porque, como temos dito, o Porto de Lisboa é um actividade importante para a economia da cidade e melhorar a capacidade de serviço do Porto de Lisboa é melhorar a base económica da cidade", afirmou António Costa.

Depois de salientar que, "sendo esse arranjo acompanhado do novo nó rodo-ferroviário, que vai eliminar alguns pontos de conflito", o autarca considerou "positivo que assim seja".

António Costa escusou-se a comentar o facto do decreto-lei que constitui a sociedade para a reabilitação da frente ribeirinha de Lisboa, aprovado no dia 17 de Abril em Conselho de Ministro, ainda não ter sido enviado para promulgação para o Presidente da República, Cavaco Silva, conforme noticiou no sábado o jornal Público.

O Governo anunciou hoje, numa cerimónia em que o presidente da Câmara não esteve presente, um investimento de 407 milhões de euros numa intervenção ferroviária, através da criação de um novo nó em Alcântara, e outra intervenção portuária, com um novo terminal de contentores, cujas obras começam já e estarão concluídas em 2013.

Intervenções de promoção da intermodalidade através da construção de uma ligação ferroviária desnivelada entre o terminal e a Linha de Cintura e a criação de uma zona de acostagem e operação de barcaças fazem parte do projecto.

Segundo explicou a secretária de Estado dos Transportes, Ana Paula Vitorino, a intervenção ferroviária inclui uma ligação da linha de Cascais à linha de Cintura, em túnel, permitindo a continuidade dos serviços urbanos de passageiros entre as duas linhas e a construção de uma nova estação subterrânea em Alcântara-Terra.

A ligação desnivelada em Alcântara permitirá ter serviços urbanos sem transbordo entre a linha de Cascais e a Margem Sul, via Terceira Travessia do Tejo, e está articulada com o projecto de modernização da linha de Cascais.

A intervenção Portuária, por sua vez, consiste na ampliação, reorganização e reapetrechamento do terminal de contentores de Alcântara com vista a atingir uma capacidade de um milhão de TEU`S (um TEU equivale a um contentor de 20 pés) por ano.

A intervenção integra ainda o melhoramento das acessibilidades marítimas, a criação de uma zona de acostagem e operação de barcaças, a construção de uma ligação ferroviária desnivelada entre o terminal e a Linha de Cintura e um feixe de mercadorias (doca seca), rondando o investimento os 348,4 milhões de euros.

ACL/JMG.


A informação mais vista

+ Em Foco

No mês do Mundial de futebol a RTP faz uma radiografia da vida na Rússia.

    Entrevista a António Mateus para o programa "Olhar o Mundo". Veja aqui.

    Um olhar aos altos e baixos da relação entre o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un.

      A RTP esteve em 2017 no navio Aquarius, agora acolhido por Espanha com mais de 600 migrantes a bordo. Veja ou reveja a reportagem.