Atrasos nos tratamentos de fertilidade no SNS violam a Constituição

por Antena 1

Ivan Alvarado - Reuters

O Conselho Nacional de Procriação Medicamente Assistida diz que o Estado está a violar a Constituição devido há existência de atrasos no acesso aos tratamentos de fertilidade no Serviço Nacional de Saúde.

Há casais obrigados a esperar mais de um ano colocando em causa a realização do próprio tratamento por causa dos limites de idade.

A presidente do Conselho, Carla Rodrigues, diz que tem vindo a alertar o Governo para este problema, e que ainda esta semana conversou com a secretária de Estado da Saúde. Mas Carla Rodrigues diz desconhecer qual a intenção por parte do Estado.