Banif: "Diziam aos clientes que a garantia das aplicações era total porque o Estado era o dono do Banco".

por João Fernando Ramos, Rui Sá

São milhares os ex-clientes do Banif que reclamam justiça, e a recuperação das poupanças de uma vida.
No Jornal 2 Daniel Caires, da Associação Lesados do BANIF, lembra que este caso é diferente do que aconteceu no BES e por isso a solução a encontrar terá que ser diversa. O único ponto de contacto: "foram feitas vendas fraudulentas aos clientes com a garantia de que os produtos financeiros tinham garantias de capital".

No caso do Banif, explica o representante legal dos lesados, os gestores de conta "diziam aos clientes que a garantia das aplicações era total porque o Estado era o dono do Banco".

A associação que os representa organizou sessões de esclarecimento de norte a sul do país e está já em contactos para criar um grupo de trabalho com o Governo.

"tivemos já contactos e foi-nos transmitido que deveríamos formalizar queixas junto da CMVM para que se pudesse trabalhar numa solução"

Espera-se que mais de um milhar de reclamações formais possam dar entrada na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

"Se contarmos com os acionistas existirão mais de 50 mil lesados no caso Banif, se os excluirmos são cerca de cinco mil as pessoas que foram lesadas na qualidade de obrigacionistas", explica Daniel Caires que adianta que em causa estarão 270 a 280 milhões de euros.

Este representante dos lesados explica que em momento nenhum o Santander Totta se responsabilizou por pagar a quem ficou sem as suas poupanças no Banif, nem se disponibilizou para reunir com os seus representantes,

Recorde-se o Santander Totta adquiriu por 150 milhões de euros o negócio bancário do Banif assim que o banco foi resolvido.
pub