Clínica alemã cobra 17 mil euros por tratamento experimental contra o cancro

por Isabel Pereira Santos/Paulo Maio Gomes/José Rui Rodrigues/Luís M. Bernardo

Uma clínica na Alemanha está a cobrar milhares de euros por um tratamento experimental para o cancro. Apesar de a comunidade internacional não reconhecer a eficácia desta terapia, a clínica aconselha um pacote mínimo de 4 vacinas que custam quase 17 mil euros, a cada doente. Dos pacientes, 80% são portugueses. Para além deste serviço básico, são encaminhados para uma mediadora, também ela portuguesa, que se disponibiliza a acompanhá-los. Só para abrir dossier, Raquel Abreu cobra 400 euros. Tudo o resto - traduções, idas à farmácia - é pago à parte. É este esquema que levanta suspeitas. Centenas de doentes acusam a portuguesa de estar a explorar a dor e a doença. Os repórteres Isabel Pereira Santos e Pedro Boa Alma viajaram até Duderstadt à procura de respostas sobre este estranho negócio. Confrontaram a mediadora e o diretor da clínica. Dias depois, ambos proibiram a emissão das entrevistas. O Sexta às 9 sabe que, nessa semana, o diretor do laboratório alemão viajou até Lisboa para negociar a abertura de uma filial portuguesa.

pub