Covid-19. Mais de 1.200 cancros ficaram por diagnosticar

por RTP

Mais de mil cancros ficaram por diagnosticar pela paragem de rastreios e falta de referenciação dos centros de saúde, desde o início da pandemia. Os números são avançados pela Liga Portuguesa Contra o Cancro.

Os médicos admitem que estão agora a detetar tumores mais avançados, particularmente digestivos e da mama, o que impõe tratamentos mais agressivos.

Os três Institutos de Oncologia do país temem que a situação piore ainda mais com a segunda vaga da pandemia.

pub