Covid-19. Portugal com 34 casos confirmados da variante Ómicron

por RTP
Segundo a DGS e o INSA, a variante Delta (B.1.617.2) continua a ser a variante dominante em todas as regiões do país. Pedro Nunes - Reuters

Há já 34 casos confirmados da variante Ómicron em Portugal. A informação foi avançada esta sexta-feira pelas autoridades de saúde, no relatório de monitorização das "linhas vermelhas" da pandemia de covid-19 no país.

“A situação epidemiológica da variante Ómicron encontra-se ainda em evolução e investigação”, frisa o relatório da Direção-Geral da Saúde (DGS) e do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA).

De acordo com estas entidades, às 18h00 desta sexta-feira tinha sido identificado um total de 34 casos desta nova estirpe do SARS-CoV-2.

“Estes casos incluem os casos sequenciados para a variante Ómicron e os casos nos quais foram identificadas mutações específicas, fortemente preditores da variante Ómicron”, refere o relatório das “linhas vermelhas”.

De momento, "estes casos foram assintomáticos ou apresentaram sintomas ligeiros, não tendo ocorrido internamentos ou óbitos", adianta a análise de risco da pandemia.

De acordo com o relatório semanal, foram identificados no surto da Belenenses SAD 28 casos sequenciados ou fortemente preditores da variante Ómicron (através da identificação de mutações específicas), e dois casos ainda aguardam o resultado quanto à identificação da variante.

"Ainda na região de Lisboa e Vale do Tejo, foi identificado um caso fortemente preditor da variante Ómicron, com história de viagem recente a África do Sul", enquanto na região Centro foram identificados, em três situações distintas, sete casos confirmados de infeção por SARS-CoV-2, dos quais cinco casos são fortemente preditores da variante Ómicron, e dois casos aguardam o resultado quanto à identificação da variante", avança o documento.
Portugal pode atingir 480 casos por 100 mil habitantes em 15 dias
Segundo a DGS e o INSA, a variante Delta (B.1.617.2) continua a ser a variante dominante em todas as regiões do país, “com uma frequência relativa de 100% (em atualização) dos casos avaliados” na semana de 15 a 21 de novembro.

O relatório dá ainda conta de que o número de novos casos de infeção por covid-19 foi de 386 por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, revelando uma “tendência fortemente crescente a nível nacional”.

Já o R(t) – índice de transmissibilidade da doença – apresenta “valor igual ou superior a 1, indicando uma tendência crescente da incidência de infeções por SARS-CoV-2 a nível nacional (1,13) e em todas as regiões”.

“A manter esta taxa de crescimento, a nível nacional, estima-se que o limiar de 480 casos em 14 dias por 100 mil habitantes possa ser ultrapassado em menos de 15 dias”, alertam as autoridades de saúde.

Também em crescimento está a ocupação dos hospitais, nomeadamente em Unidades de Cuidados Intensivos.

O relatório das “linhas vermelhas” indica que, em Portugal continental, o número de pacientes com covid-19 em UCI corresponde agora a 50 por cento do “valor crítico definido” de 255 camas ocupadas.
Tópicos
pub