Cruz Vermelha Portuguesa, IPDJ e Instituto Ricardo Jorge alvo de buscas

por RTP
Rui Alves Cardoso - RTP

A Policia Judiciária realizou buscas no Instituto Português do Desporto e da Juventude, no Centro Hospitalar Tondela-Viseu, no Instituto de Saúde Doutor Ricardo Jorge e na Cruz Vermelha Portuguesa. O inquérito dirigido pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal tem como objetivo a recolha de prova relacionada com suspeitas de crimes de participação económica em negócio e de abuso de poderes, por titular de cargo político, bem como de usurpação de funções.

O ex-secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo, é um dos visados da investigação, mas ainda não foi constituído arguido. As buscas desta terça-feira têm como principal objetivo a recolha de material provatório.
O ex-governante terá sugerido uma empresa de um ex-sócio para realizar testes à covid-19 na Região Centro.

Em comunicado, o DCIAP explica que em causa estão suspeitas de favorecimento de contratação pública na realização de testes covid, e ainda a celebração de um contrato público, por ajuste direto, para aquisição de serviços de engenharia.

"A factualidade investigada, cujo início remonta a 2019, baseia-se, em parte, na celebração de um contrato público, por ajuste direto, ao abrigo do 'Projeto PRID – Programa de Reabilitação de Infraestruturas Desportivas', para aquisição de serviços de engenharia, com pessoa sem habilitação legal para a prática de atos decorrentes daquela profissão, e, noutra parte, em suspeitas de favorecimento de contratação pública respeitante a análises de testes do vírus SARS-COV-2", lê-se na nota.
Nas nove buscas domiciliárias e não domiciliárias participam inspetores e peritos da Polícia Judiciária, um representante da Ordem dos Médicos, cinco especialistas do Núcleo de Assessoria Técnica da Procuradoria-Geral da República, cinco magistrados do Ministério Público e dois juízes de Instrução Criminal.
Tópicos
pub