Demolições na Ilha do Farol já começaram e sem protestos

| País
Demolições na Ilha do Farol já começaram e sem protestos

A ver: Demolições na Ilha do Farol já começaram e sem protestos

Começam hoje as primeiras demolições na ilha do farol, no Algarve. As demolições das habitações identificadas durante o mes de fevereiro estão marcadas para o inicio desta manhã.

É uma intervenção da Sociedade Polis Litoral Ria Formosa, criada em 2008. O objetivo é requalificar e valorizar a orla costeira na ria Formosa.

Abrange uma área que vai de Vale do Lobo, no concelho de Loulé, e Vila Real de Santo António.

O reporter da RTP, Duarte Baltazar, está no local a acompanhar os trabalhos.

De acordo com a agência Lusa, o processo de demolição de 23 construções ilegais na ilha do Farol deverá demorar cerca de uma semana.

O presidente da Sociedade Polis Ria Formosa, José Pacheco, das 36 construções previstas para demolição apenas 23 foram consignadas ao empreiteiro.

outras 13 estão protegidas por providências cautelares, interpostas antes e já depois das posses administrativas, efetuadas no final de fevereiro.

"Durante o dia de hoje vai haver a montagem do estaleiro e vão ser salvaguardadas as questões ambientais, com a retirada das telhas de amianto", explicou José Pacheco.

Depois das demolições terá de se fazer a reposição das condições naturais dos locais onde estavam as construções e que inclui a recolha de detritos.

De acordo com o presidente da Polis, até ao dia 20 de maio "tem que estar tudo arranjado", ou seja, antes do início da época balnear.

Segundo disse à Lusa o comandante da Zona Marítima do Sul, Nuno Cortes Lopes, a Polícia Marítima está a prestar apoio policial à operação com 80 efetivos no terreno.

"Vamos ter um perímetro exterior, numa zona mais afastada das construções, com 40 polícias e perímetros interiores também com 40 [agentes], nos locais mais próximos das habitações", referiu Cortes Lopes.

C/Lusa

A informação mais vista

+ Em Foco

É impossível passar ao lado de um marco temporal como o dos 100 dias, alvo de tantas avaliações e balanços por parte da imprensa.

    Em entrevista à Antena 1, o Presidente da República diz que o crescimento da economia é o que mais o preocupa agora.

    A RTP agrupa as sondagens disponíveis e traça as tendências do eleitorado para a derradeira votação da eleição presidencial francesa.

      A Associação Adeptos dos Sonhos canalizava 90% do dinheiro recolhido em ações de caridade para uma empresa do namorado da presidente.