Derrocada na falésia da Praia da Ursa

| País

|

Uma pessoa morreu na sequência de uma derrocada na praia da Ursa, em Sintra. Uma outra mulher ficou ferida com gravidade. Ambos estariam a acampar na praia da altura em que se desprenderam algumas rochas da arriba.

A vítima mortal é um cidadão de nacionalidade brasileira, de cerca de 40 anos. Para o local foi acionado um helicóptero da Força Aérea, que retirou da praia de difícil acesso uma mulher ferida, de nacionalidade alemã. A vítima, de 40, foi transportada para o Hospital de S. José e está estável apesar de apresentar vários traumatismos.

O grupo, no total de cinco pessoas, estavam a acampar na praia, "numa zona de imenso perigo", no sopé de uma arriba de cerca de 150 metros, como relata o comandante da capitania do Porto de Cascais, em declarações aos jornalistas. Os restantes três elementos do grupo, que não ficaram feridos, saíram do local pelo próprio pé.


O comandante revelou que deveria estar uma placa de perigo na praia da Ursa, mas admitiu que ela foi vandalizada. No entanto, refere que entre esta praia e o cabo da Roca, há cerca de uma dezena de placas a sinalizar o perigo de queda de arribas.

Os técnicos da Agência Portuguesa do Ambiente estão agora a proceder a uma avaliação da praia, para avaliar da necessidade de interditar ou não o areal.

A informação mais vista

+ Em Foco

A Marinha tailandesa divulgou um vídeo sobre a operação de salvamento. Veja aqui todos esses momentos.

O neutrino, partícula cósmica, foi encontrado por sensores no fundo do gelo antártico pelo detetor IceCube.

A história de Ötzi começou quando um grupo de caminhantes na região alpina italiana de Oetztal tropeçou num cadáver.

Veja aqui imagens exclusivas em 360º da missão portuguesa.