Escassez de militares denunciada na Base Aérea 5

por Antena 1

O comandante da Base Aérea n.º 5 (BA5) em Monte Real, Leiria, alertou para a saída contínua de militares e pediu uma solução urgente, afirmando que, a continuar assim, um dia não se conseguirá cumprir a missão.

Segundo o comandante, coronel João Gonçalves, a BA5 já perdeu este ano 5 por cento dos recursos humanos, continuando a sair mais militares do que aqueles que entram. Defende por isso que é "urgente uma solução" para tornar a carreira mais atrativa.

"Nos últimos cinco anos foram 17 por cento os que saíram mas, se andarmos mais para trás, há 20 anos, foram quase 50 por cento", disse, admitindo que, "a continuar assim, o fim é que vamos chegar a um dia em que não se consegue cumprir a missão”.

A BA5, em Monte Real, tem como missão garantir a prontidão das Unidades Aéreas e o apoio logístico-administrativo de unidades e órgãos nela sediados, bem como a segurança interna e a defesa imediata. Opera as aeronaves F-16 através das Esquadras 201 (“Falcões”) e 301 (“Jaguar").

O comandante falava aos jornalistas à margem da cerimónia dos 60 anos da BA5, presidida pelo Presidente da República e Comandante Supremo das Forças Armadas, Marcelo Rebelo de Sousa, que não fez qualquer intervenção nem prestou declarações à comunicação social.