Falta de pessoal no SEF suspende atendimentos

| País
Falta de pessoal no SEF suspende atendimentos

Foto: Miguel A. Lopes - Lusa

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) suspendeu as marcações para atendimento de imigrantes por falta de pessoal.

O SEF deixou de fazer marcações para atendimento aos imigrantes para tratar, por exemplo, de processos de autorização de residência ou renovação ou ainda para reagrupamento familiar.

O calendário está cheio para todos os postos de atendimento do continente e ilhas até ao final de 2019 e o SEF não sabe ainda quando vai abrir o calendário de marcações para o próximo ano, como explica o sindicalista Acácio Pereira.

O presidente do sindicato da carreira, investigação e fiscalização do SEF sublinha a necessidade de haver mais meios.

Há mais de 141 mil agendamentos registados para atendimento em todos os balcões do SEF e durante os primeiros seis meses deste ano já foram atendidas mais de 155 mil pessoas, mais trinta mil do que em igual período do ano passado.

O SEF sublinha que neste momento há disponibilidade para atendimento para processos como a concessão de cartão de residência para cidadãos da União Europeia ou para prorrogação de permanência a nível nacional para as próximas semanas.

O serviço assinala que está neste momento a avaliar uma estratégia para aumentar a capacidade de atendimento que vai passar pela implementação de meios tecnológicos mas também pelo reforço de recursos humanos.

Neste momento está a decorrer um concurso para 116 assistentes técnicos que vai duplicar a capacidade de atendimento ao público.

A informação mais vista

+ Em Foco

A RTP ouviu os seis lideres partidários sobre temas que escapam aos programas políticos e que contribuem para definir o perfil dos candidatos.

    Uma sondagem da Universidade Católica aponta para o fim da hegemonia laranja na Madeira, apesar da vitória do PSD nas regionais (38%) do próximo domingo.

    Na semana em que se assinala o início da II Guerra Mundial, a RTP conta histórias de portugueses envolvidos diretamente no conflito.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.