Frio aperta. Câmara de Lisboa vai ativar plano de contingência

| País

Por causa das baixas temperaturas, várias estações de metro vão estar abertas para acolher pessoas sem abrigo
|

A Câmara Municipal de Lisboa acionou a fase amarela de apoio aos Sem Abrigo devido às baixas temperaturas. Um plano de contingência que estará operacional a partir das 19 horas desta segunda-feira.

O vereador com o Pelouro da Educação e dos Direitos Sociais, Ricardo Robles, informou hoje que, "com a previsão da continuidade da descida das temperaturas" foi "acionada a fase amarela" de um plano de ajuda aos Sem Abrigo. Um plano que "estará operacional a partir das 19h, de 2ª feira".


Com esta decisão, é "assim constituída a coordenação do DIASA - Dispositivo Integrado de Apoio aos Sem Abrigo - integrando vários parceiros, nomeadamente o Serviço Municipal de Protecção Civil e o Departamento de Direitos Sociais da CML", sob a alçada do vereador Ricardo Robles.

A CML diz que tem estado sempre, desde o início do inverno, "especialmente atenta às baixas temperaturas devido à sua população mais vulnerável em situação de sem-abrigo".

Desde sexta-feira, adianta a CML, que se encontra "acionada a fase azul, que contempla monitorização e agora também a prevenção, incluindo abertura antecipada dos centros de acolhimento e reforço das equipas de rua das várias instituições parceiras, que distribuem agasalhos e bebidas quentes".

Com o acionamento da fase amarela várias estações do Metro de Lisboa vão estar abertas durante a noite - Rossio, Saldanha, Gare do Oriente e Intendente - com "o apoio das várias equipas/parceiros sociais que habitualmente estão em trabalho articulado".

Será também garantido, a partir desta segunda-feira, às 19h30, a abertura do Pavilhão da Graça (Pavilhão Municipal Manuel Castelo Branco) na Rua Natália Correia 10.

Em comunicado enviado às redações, o vereador Ricardo Robles diz que durante esta segunda-feira terá uma "reunião sobre pessoas em situação sem-abrigo com o Exmo. Presidente da República, pelas 17h30, no Palácio de Belém".
Situação no Porto
A Câmara do Porto vai avaliar na segunda-feira a possibilidade de acionar de imediato o plano de contingência para os sem-abrigo devido ao frio, que inclui o fornecimento de bebidas quentes e a abertura noturna de estações do metro.

Em resposta à Lusa, o gabinete de comunicação da autarquia afirmou hoje que "a Proteção Civil, os bombeiros e a Ação Social estarão em permanente avaliação das condições climatéricas e acionarão, logo que se justifique, o plano de contingência para os sem-abrigo".

"Pelas previsões atuais, o plano será acionado amanhã (segunda-feira). No entanto, amanhã de manhã será feita nova avaliação", acrescenta.

Em caso de situações climatéricas adversas, como frio extremo, "o antigo Hospital Joaquim Urbano, atualmente a funcionar como centro de acolhimento, está preparado para receber os sem-abrigo, prestando cuidados primários de saúde e fornecendo comida e bebidas quentes".

Este ano, salienta a autarquia, "com a colaboração do Exército, a capacidade de acolhimento será reforçada com camas suplementares".

À semelhança do que já tem acontecido em anos anteriores, também "as estações de metro do Bolhão e da Casa Música são abertas durante a noite para dar abrigo e minorar as condições adversas provocadas pelo frio".

"Na rua, durante a noite, as equipas de ação social irão distribuir cobertores e bebidas quentes", conclui a Câmara do Porto.

As previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) disponíveis no seu 'site' apontam para temperaturas baixas durante a próxima semana, com uma temperatura mínima de dois graus celsius na segunda-feira, um grau na terça-feira e zero graus na quinta-feira.

A temperatura máxima não deverá ultrapassar os 12 graus celsius durante toda a semana.

"Uma vasta região anticiclónica, localizada na região dos Açores e uma depressão sobre a Península Ibérica, vai continuar a dar origem ao transporte de uma massa de ar muito frio e seco sobre o território do continente ao longo da próxima semana", justifica o IPMA, num comunicado colocado na sua página na internet.

C/ Lusa

Tópicos:

Lisboa, Porto, Frio,

A informação mais vista

+ Em Foco

Ocupou durante 60 anos vários cargos nas Nações Unidas e viria a deixar a sua marca na história da organização. Kofi Annan morreu em Berna aos 80 anos.

Quem pensa que a “Guerra das Estrelas” é apenas o título de uma saga de ficção científica não está a par do que Estados Unidos e Rússia estão a engendrar.

Uma semana após a extinção do incêndio de Monchique, a televisão pública esteve no barlavento algarvio com uma emissão especial sobre o cíclico flagelo dos incêndios e as alterações climáticas.

    Fãs de Aretha Franklin homenagearam a icónica cantora norte-americana em várias cidades dos Estados Unidos. A rainha da Soul morreu na manhã de quinta-feira na sua casa em Detroit.