Fumo dos fogos em Portugal e anticiclone criam "nuvem" que cobre Extremadura espanhola

| País

O fumo dos incêndios florestais em Portugal e as condições atmosféricas criaram uma "nuvem" que cobria hoje uma boa parte da Extremadura espanhola, informaram os serviços meteorológicos espanhóis.

Em declarações à agência espanhola EFE, o delegado territorial da Agência Estatal de Meteorologia (Aemet), Marcelino Núñez, indicou que a "nuvem" era bastante densa em certos locais, como por exemplo em las Vegas Guadiana (Badajoz), provocando mesmo uma descida nas temperaturas locais até quatro graus.

Os serviços meteorológicos espanhóis esclareceram, no entanto, que os incêndios deste fim de semana em Portugal não são os únicos responsáveis por este cenário.

A situação também se deve a condições atmosféricas de anticiclone e de altas pressões naquela zona geográfica, que combinadas com o fumo potenciam o efeito de "nuvem".

A comunidade da Extremadura, que faz fronteira com Portugal, amanheceu hoje coberta pelo fumo proveniente dos incêndios florestais registados este fim de semana no território português.

Transportado pelo vento, o fumo foi acompanhado por cinzas e um cheiro a queimado e condicionou os níveis de visibilidade.

Segundo a EFE, uma "nuvem" mais densa estava a afetar várias cidades da zona como Badajoz, Cáceres e Mérida.

A informação mais vista

+ Em Foco

Meio século depois, o Parlamento soviético dos finais da Guerra Fria repudiou o Pacto. Decorridos mais 30 anos, Putin quer reabilitá-lo.

    A receita da venda desta madeira ultrapassará os 15 milhões de euros, que devem ser investidos na nova Mata do Rei.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.