Linha do Oeste tem contrato para obras de modernização

por Lusa
A Linha do Oeste aguarda por obras há mais de duas décadas D.R.

O ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, preside esta terça-feira à assinatura do contrato relativo às obras de modernização da Linha do Oeste no troço entre Torres Vedras e Caldas da Rainha, aguardadas há mais de duas décadas.

Após o visto do Tribunal de Contas, a empresa Infraestruturas de Portugal e o consórcio construtor assinam o contrato de consignação da empreitada, com um custo de 38 milhões de euros e um prazo de execução de 22 meses, segundo o acordo de adjudicação datado de fevereiro.

A intervenção prevê a eletrificação integral do troço, a beneficiação de cinco estações e seis apeadeiros e a criação e melhoria dos acessos às plataformas de passageiros para pessoas com mobilidade condicionada, entre os distritos de Lisboa e Leiria, para aumentar a oferta de comboios e reduzir os tempos de deslocação.

Ao longo das últimas décadas, face à demora do trajeto e à falta de investimento, a Linha do Oeste perdeu competitividade para o transporte rodoviário e, em consequência, passageiros, levando utentes, autarcas e partidos políticos a reclamar pela sua modernização.

Através de financiamento comunitário, o Governo garantiu um investimento de 155 milhões de euros, dos quais 61,7 ME são para obras que decorrem desde novembro de 2020 entre as estações de Meleças (Sintra) e Torres Vedras.
pub