Madeleine McCann. Desaparecimento terá envolvido russos e alemães

por RTP

Há cada vez mais evidências de que o desaparecimento de Madeleine McCann foi um crime de grupo que envolveu cidadãos russos e alemães que viviam no Algarve.

O porta-voz da procuradoria de Braunshweig diz que Bruckner terá agido sozinho, mas o Sexta às 9 recolheu testemunhos e documentos que contrariam esta hipótese.

Provas que demonstram que, se Bruckner é o homicida de Madeleine, o mais provável é ter tido a ex-namorada, Nicole Felhinger, como cúmplice.

Era ela que tinha contactos com cidadãos russos que estão a ser procurados pela justiça alemã por terem tido contactos com Bruckner na primavera de 2007.

Era também Nicole que conhecia babysitters, porque ela própria fazia babysitting e cuidava de jovens problemáticos vindos da Alemanha para o Algarve.

O Sexta às 9 investigou um assalto apenas meio ano depois de Madeleine ter desaparecido. Uma fonte muito próxima de Christian Bruckner garante-nos que Nicole foi a mentora desse roubo a uma casa em Albufeira. Bruckner executou o crime.

O assalto foi premeditado em 48 horas e teve o mesmo modus operandi do caso Madeleine - uma chamada telefónica antes do crime a avisar Bruckner que poderia entrar na casa e apenas um objetivo específico roubado.

Da casa em Albufeira, desapareceu apenas uma mala com 100 mil euros. Do apartamento dos McCann, só Madeleine desapareceu.
pub