Marcelo alerta para a situação da pequena agricultura e quer destinatários informados sobre apoios

| País

O Presidente da República considerou hoje importante que as populações afetadas pelos incêndios do passado fim de semana sejam informadas sobre as medidas e apoios aprovados pelo Governo e alertou para a situação da pequena agricultura.

"É importante os que tiveram esse desgosto supremo da morte de familiares saberem o que foi aprovado em Conselho de Ministros, para não andarem no escuro à procura de uma solução", disse Marcelo Rebelo de Sousa, aludindo às indemnizações aos familiares das vítimas.

Falando em Penacova, distrito de Coimbra, no final de uma visita que o levou, nos últimos dias, a 14 concelhos do interior centro afetados pelos incêndios, o chefe de Estado apelou ainda a que as autarquias se informem sobre os apoios à reconstrução de casas de primeira habitação.

Realçou ainda que as pessoas que tiveram problemas relacionados com a sua atividade económica terão também de ser informadas para saberem "como é" que os solucionam.

"E chamei a atenção, especificamente, daquilo que não se fala muito, que é a pequena agricultura. Aqueles agricultores de subsistência ou que têm os seus animais de criação de subsistência e que não são propriamente grandes empresas mas são problemas que para a vida daquelas pessoas são fundamentais", alertou o PR.

Na ocasião, Marcelo Rebelo de Sousa defendeu ainda uma moratória na relação com instituições públicas como os tribunais e considerou "justa" a isenção do pagamento de taxas e emolumentos para todos os que perderam os seus documentos pessoais e outros relacionados com casas e propriedades nos incêndios e que pretendam pedir segundas vias.

"Penso que é justo que se faça aquilo que se fez para Pedrógão [Grande]. Muita gente perdeu documentos, houve perturbação de atividades públicas e privadas neste período, nesta área que houvesse uma moratória para os tribunais, para a administração pública, para notificações", argumentou o PR.

Nos últimos dias o Presidente da República insistiu na necessidade de uma "convergência total" de todos os partidos políticos sobre a situação de emergência do interior do país e hoje apelou a que deputados de todos os grupos parlamentares, especialmente aqueles eleitos por outros círculos eleitorais que não os dos distritos afetados pelos incêndios, visitem a região.

A esse propósito, Pedro Coimbra, presidente da Assembleia Municipal de Penacova e deputado do PS eleito pelo círculo de Coimbra, disse compreender o apelo do PR e manifestou concordar com ele: "Para se falar e para se decidir é preciso conhecer. E muitos não conhecem e não vieram verdadeiramente ver o que é que se passou e o que se passa. Subscrevo inteiramente as palavras do senhor Presidente, é absolutamente decisivo vir conhecer para poder decidir", frisou.

A informação mais vista

+ Em Foco

Foi considerado o “pior dia do ano” em termos de fogos florestais, com a Proteção Civil a registar 443 ocorrências. Morreram 45 pessoas. Perto de 70 ficaram feridas. Passou um mês desde o 15 de outubro.

    Todos os anos as praias portuguesas são utilizadas por milhões de pessoas de diferentes nacionalidades e a relação ambiental com estes espaços não é a mais correta.

      Doze meses depois da eleição presidencial de 8 de novembro de 2016, com Donald Trump ao leme da Casa Branca, os Estados Unidos mudaram. E o mundo afigura-se agora mais perigoso.

        Uma caricatura do mundo em que vivemos.