Motoristas. Serviços mínimos salvaguardam funcionamento do país

por Antena 1

O ministro do Trabalho considera que os serviços mínimos decretados pelo Governo não pretendem interferir no conflito laboral mas sim olhar pelo bem do país.

Em causa a greve dos motoristas de matérias perigosas marcada para o próximo dia 6 e até 22, em relação ao trabalho em horas extraordinárias e fins de semana.

As explicações de Vieira da Silva em entrevista à RTP 3.

Os esclarecimentos do ministro.

Antes o Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas disse estar estupefacto com os serviços mínimos decretados pelo Governo para a greve.

Em comunicado assinado pela direção, o sindicato salienta que não foram determinadas as quantidades a que se referem os serviços mínimos, deixando isso ao critério arbitral das empresas.

O determinado, segundo o sindicato deixa às empresas liberdade para determinarem o número de trabalhadores e de carros necessários à prestação de serviços mínimos.

No documento, o sindicato questiona também sobre o facto de muitos trabalhadores já terem esgotado o número de horas permitidas para a realização de trabalho suplementar em 2019.