Movimento Médicos em Luta admite um verão quente

por Antena 1

Foto: Nuno Patrício - RTP

O movimento está a recolher assinaturas para enviar uma carta ao Ministério da Saúde a alertar para os problemas do setor. A porta-voz do movimento Susana Costa aponta a falta de profissionais para preencher as urgências.

Na carta, os médicos dizem estar indisponíveis para fazer mais do que as horas extraordinárias obrigatórias por ano a partir de 1 de julho, se não existir acordo com os sindicatos.

O movimento tem "uma reunião agendada para o mês de junho" com a tutela. Em cima da mesa das negociações vai estar a discussão das das carreiras médicas e a grelha salarial".

Sobre o plano de emergência apresentado na quarta-feira pelo Governo, o movimento considera que há "algumas propostas que são importantes", mas quer ver para crer que impacto as medidas vão ter na resposta do serviço nacional de saúde.
pub