Pais de Telheiras (Lisboa) organizam cordão humano contra nova igreja

| País

Os contestatários à construção de uma nova igreja e casa mortuária junto a uma escola no bairro de Telheiras, em Lisboa, vão organizar um cordão humano de protesto, disse hoje à Lusa uma das organizadoras.

"Na quarta-feira, dia 21, entre as 08:30 e as 09:00 iremos fazer um cordão humano envolvendo o jardim e as escolas", disse à Lusa Virgínia Conde, presidente da Associação de Pais da Escola Básica de Telheiras e nº1 e Jardim de Infância de Telheiras.

O projeto para a construção de um centro paroquial, casa mortuária e igreja prevê a sua implementação num terreno com mais de 2.000 metros quadrados, situado entre a rua Hermano Neves e a rua José Escada, um espaço atualmente ajardinado junto à EB1 e ao Jardim de Infância de Telheiras.

A Associação de Pais das escolas de Telheiras contesta a localização da obra e o fim daquele espaço ajardinado, pelo que lançou uma petição online e está a agendar para as próximas semanas algumas ações para sensibilizar a população da importância do espaço verde que existe no local, entre as quais o cordão humano.

Entretanto, a Junta de Freguesia do Lumiar promoveu na quinta-feira à noite uma sessão de esclarecimento sobre a construção da nova igreja.

A presidente da Associação de Pais considerou essa iniciativa importante porque mostrou que "todos os envolvidos estão disponíveis para negociar".

"Esta sessão correu muito bem, ficou aberta uma porta para a negociação, não temos nada contra a construção de uma igreja com todas as valências necessárias, mas aquele sítio não é o ideal. Está tudo nas mãos da Câmara Municipal de Lisboa e do Patriarcado", afirmou Virgínia Conde.

O presidente da junta de freguesia do Lumiar, Pedro Delgado Alves (PS), explicou à Lusa que a sessão de esclarecimentos tinha por objetivos "apresentar o projeto da paróquia e ponderar algumas alternativas" para a sua aplicação.

"A Câmara Municipal de Lisboa está disposta a fazer a permuta de um terreno que permita a instalação da igreja e centro paroquial. Do lado da paróquia há também abertura para discutir as alternativas e, neste momento, estão a ser estudadas as melhores hipóteses", disse.

Relativamente ao tempo que demorará até ser encontrada uma solução, o autarca disse à Lusa que espera "ter tempo para que se encontre uma solução, com a maior brevidade possível".

A petição contra a construção da igreja e centro paroquial no jardim contíguo às escolas reunia hoje, cerca das 18:00, quase 2.800 assinaturas e vai manter-se `online`.

Segundo um comunicado divulgado na página da paróquia pela equipa coordenadora do projeto, este compreende a construção de uma igreja, um centro para idosos, um armazém para recolha e distribuição de alimentos, um espaço solidário para recolha e distribuição de roupa, um centro de aconselhamento e apoio familiar, um espaço para eventos, salas de reuniões para encontros de várias valências e capelas mortuárias.

Tópicos:

Básica, Jardim Infância, Lumiar Delgado Alves, Patriarcado, Telheiras,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em 9 de abril de 1918, a ofensiva alemã varre a resistência portuguesa. O dossier que se segue lança um olhar sobre o antes, o durante e o depois.

    Quase seis décadas depois, a Presidência de Cuba deixou de estar nas mãos de um membro do clã Castro.

    Kim e Donald passaram do insulto à vontade mútua de fazer história. Bem-vindos à era das ilusões.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.