Pampilhosa da Serra iniciou testes a grupos de risco

por Lusa

O município da Pampilhosa da Serra, no distrito de Coimbra, iniciou hoje a realização de testes de diagnóstico da covid-19 a grupos de risco.

Salientando a dificuldade em adquirir estes dispositivos, a autarquia anunciou, em comunicado enviado à agência Lusa, que conseguiu adquirir 500 testes de diagnóstico de laboratório e que na manhã de hoje realizou os primeiros 100.

"Neste primeiro dia, pelo facto de o número de testes ter sido limitado, houve a necessidade de perceber quais as situações mais `urgentes` dentro dos designados grupos de risco", refere o comunicado, salientando que o primeiro lote de testes foi colocado à disposição da Santa Casa da Misericórdia, Associação de Solidariedade Social de Dornelas do Zêzere e Cáritas.

No entanto, segundo a nota, hoje acabaram por ser testados os colaboradores do Centro de Saúde, dos Bombeiros Voluntários, da GNR, funcionários do município da equipa de recolha de resíduos sólidos urbanos e ainda grupos sinalizados pela legislação (supermercados, talhos, padarias, papelaria, restaurantes `take-away` e serviços de transportes).

"Como se percebe, tendo em conta o número limitado de testes disponibilizados pelo laboratório neste primeiro lote, foi necessário definir casos urgentes de pessoas mais expostas. Prevemos que nos próximos dias, assim que possível, as restantes pessoas pertencentes aos grupos de risco possam também realizar o teste de diagnóstico", assume a autarquia.

"Nesta missão, que é de todos, a autarquia tem a particular missão de zelar pelos que cuidam de nós e que trabalham diariamente para que possamos enfrentar este período com o máximo de serenidade possível", refere ainda o comunicado.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 1,3 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 75 mil.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 345 mortes, mais 34 do que na véspera (+10,9%), e 12.442 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 712 em relação a segunda-feira (+6%).

Dos infetados, 1.180 estão internados, 271 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 184 doentes que já recuperaram.

pub