PGR: suspeitas de tráfico de armas internacional e terrorismo no roubo de armas em Tancos

por RTP

A Procuradoria-Geral da República vem confirmar que estão em causa suspeitas da prática dos crimes de associação criminosa, tráfico de armas internacional e terrorismo internacional. O inquérito passa a ser dirigido pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) e a investigação será feita pela Unidade Nacional Contra Terrorismo da Polícia Judiciária.

Durante a investigação, o Ministério Público apurou que o desaparecimento de material de guerra em Tancos se integra no que a PGR chama de uma "realidade mais vasta".

Dada a natureza e gravidade destes crimes, "o Ministério Público decidiu que a investigação relativa aos factos cometidos em Tancos deveria prosseguir no âmbito de um inquérito com objeto mais vasto a ser investigado no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP)", revela uma nota enviada à comunicação social.

O Ministério Público conta assim com a Unidade Nacional Contra Terrorismo (UNCT) da Polícia Judiciária na investigação, continuando a colaboração institucional da Polícia Judiciária Militar.

O assalto aos Paióis Nacionais de Tancos foi confirmado pelo Exército na passada quarta-feira. Entre o material roubado estão granadas de mão ofensivas e munições de calibre nove milímetros, "granadas foguete anticarro", granadas de gás lacrimogéneo, explosivos, entre outro material.

O inventário do material roubado foi entregue às forças antiterroristas europeias.