PJ deteve comerciante de arte e apreendeu 26 quadros falsos

por RTP

A rede agora desmantelada tinha como principal responsável um homem, referenciado por introduzir obras falsas no comércio de arte nacional, através de leiloeiras e galerias de arte.

Algumas eram reproduções de grandes mestres como Cruzeiro Seixas, Mário Cesariny, Noronha da Costa, José Malhoa, Cutileiro, Malangatana e Almada Negreiros.

Contava com a ajuda de um falsário, um recluso, que a partir da sala de artesanato de um estabelecimento prisional fazia as reproduções, que assinava com o nome dos artistas. As obras tinham um valor aproximado de 250 mil euros.

O comerciante de arte já foi presente a um juiz e foi-lhe aplicada a medida de obrigação de permanência na habitação.
pub