Regresso de famílias faz duplicar população da Pampilhosa da Serra em dois meses

por Lusa

A população do concelho da Pampilhosa da Serra, com o regresso temporário de muitas famílias, duplicou nos últimos dois meses, ao passar de 4.500 para 9.000 residentes, disse hoje o presidente da Câmara.

"Temos neste momento o dobro dos habitantes", declarou José Brito à agência Lusa, associando esta situação ao atual contexto da pandemia da covid-19.

Há mais de dois meses, a autarquia já sabia que "muitas famílias" da diáspora tinham regressado temporariamente às suas habitações, neste município do interior do distrito de Coimbra.

Tal tendência começou a verificar-se antes de 18 de março, data em que o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, decretou o estado de emergência.

Sede de um município com quase 4.500 habitantes, a residir na vila e em 109 povoações dispersas num território montanhoso com uma área próxima dos 400 Km2, Pampilhosa da Serra tem uma importante comunidade de naturais e descendentes na zona de Lisboa, além de migrantes noutros pontos do país e no estrangeiro.

Dispondo de casa na aldeia, onde passam habitualmente férias e fins de semana, aproveitando nalguns casos para cuidar das propriedades agrícolas e florestais, muitas dessas pessoas optaram por cumprir o confinamento na terra de origem.

"Estar numa casa com quintal é muito diferente de estar fechado num apartamento, numa cidade como Lisboa", exemplificou o presidente da autarquia.

Só quando os serviços distribuíam, gratuitamente, material de proteção aos moradores é que a Câmara Municipal teve uma noção "mais exata" de quanto a população tinha aumentado nos últimos meses.

"Tivemos de comprar mais máscaras e álcool gel", contou José Brito.

Esta duplicação repentina do número de habitantes, com o regresso antecipado de pessoas que já o costumam fazer pelo menos uma vez no ano, especialmente nos meses de verão, agradou ao executivo.

"Deu-nos muita satisfação", confirmou o autarca da Pampilhosa da Serra, onde não há atualmente infeções por covid-19.

O filme "Aquele Querido Mês de Agosto" (2008) retrata o bulício estival, neste e noutros concelhos da região, com a visita de férias de centenas de famílias com raízes locais, a que se juntam turistas estrangeiros.

A longa-metragem, de Miguel Gomes, foi rodada nos concelhos de Arganil, Oliveira do Hospital, Góis, Tábua e Pampilhosa da Serra, em 2006 e 2007.

No início de abril, Pampilhosa da Serra registou apenas um caso positivo, de uma jovem residente em Coimbra, onde é estagiária de enfermagem numa instituição e que visitou a família nessa altura.

Esta semana, o município continuava sem qualquer infetado pelo novo coronavírus.

"Este resultado deve-se muito ao comportamento das pessoas neste período difícil", disse José Brito à Lusa.

A autarquia "fez o que devia e que os outros municípios fizeram também" para travar a propagação do novo coronavírus.

Tópicos
pub