Uma vítima mortal e seis feridos em incêndio na Amadora

| País

O alerta chegou aos serviços de socorro cerca das 7h20 desta segunda-feira
|

Uma criança de um ano perdeu a vida e outras seis pessoas ficaram feridas num incêndio que deflagrou esta segunda-feira num prédio da Venteira, freguesia do concelho da Amadora.

De acordo com o comandante dos Bombeiros Voluntários da Amadora, Mário Conde, ouvido no Bom Dia Portugal, três dos feridos ficaram em estado grave. Os demais sofreram ferimentos ligeiros. A vítima mortal, confirmou, é “uma menina de um ano de idade”.

“Neste momento, a situação está controlada. Estamos numa fase de rescaldo do incêndio”, adiantou o responsável.


O alerta chegou aos serviços de socorro cerca das 7h20. As chamas deflagraram num apartamento do rés-do-chão de um edifício de três andares na Estrada Salvador Allende, na Venteira.

“Chegámos ao local e tínhamos um rés-do-chão completamente tomado pelas chamas, que tinham passado no momento para a caixa da escada, impedindo a saída das vítimas dos andares superiores”, descreveu o comandante dos Bombeiros da Amadora.

Pelas 9h00, as operações no local mobilizavam 30 operacionais, apoiados por dez viaturas. Além dos bombeiros da Amadora e de Queluz, responderam ao incêndio meios da Polícia de Segurança Pública e do Instituto Nacional de Emergência Médica.As vítimas habitam andares superiores do prédio. Um dos feridos é um bebé de oito meses.


“Neste momento, estamos com as equipas de psicólogos do INEM no local, a avaliar os pais e a conversar com alguns bombeiros”, indicou ainda o comandante Mário Conde.

Questionado sobre possíveis causas deste incêndio, o comandante dos Bombeiros da Amadora remeteu eventuais esclarecimentos para a Polícia Judiciária, entretanto chamada ao local.

Mais tarde, em declarações à equipa de reportagem da RTP, Mário Conde assinalou que “não foi fácil” retirar os moradores do prédio.

“Este incêndio deu-se no rés-do-chão, à entrada do edifício, os fumos e a temperatura resultante do incêndio invadiram a caixa da escada. Tivemos de retirar algumas vítimas pelas janelas”, relatou, acrescentando que a dimensão das árvores na rua dificultou esta operação.

Paula Cardona - RTP

“Conseguimos retirar grande parte das vítimas pelas janelas, mas as que tentaram sair pela caixa da escada enfrentaram o incêndio, o que causou uma vítima mortal e algumas graves”, acentuou o comandante dos Bombeiros Voluntários.

A habitação consumida pelas chamas “não tem condições de habitabilidade neste momento”, ainda segundo Mário Conde. “As pessoas têm de ser realojadas pela Proteção Civil ou pela Câmara Municipal. Neste momento não estão no local, foram reencaminhadas para a esquadra aqui da zona. Em princípio encontram-se bem”, concluiu.

Tópicos:

Amadora, Bombeiros, Incêndio, Prédio, Vítimas,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em Pedrógão Grande, dois anos depois dos incêndios, quase só os estrangeiros são atraídos para a região.

Uma equipa da RTP acompanhou o curso dos novos seguranças pessoais, "sombras" de quem protegem.

Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

    Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.