Vila do Conde contra "política de remendos" no Centro Hospitalar local

| País

Vila do Conde, Porto, 28 mar (Lusa): A Câmara Municipal de Vila do Conde manifestou-se hoje "absolutamente contra uma política de remendos" nas atuais instalações do Centro Hospitalar da Póvoa de Varzim/Vila de Conde.

Esta reação vem na sequência de uma recente posição da Administração Regional de Saúde do Norte (ARSN), onde este organismo vincou que "não pode assumir" a construção de um novo hospital que sirva os dois concelhos, devido a "constrangimentos orçamentais".

A ARSN lembrou que "está a decorrer um levantamento de necessidades [no atual Centro Hospitalar], de modo a que, no mais curto espaço de tempo praticável, possa ser efetuado o investimento necessário e, neste momento, financeiramente possível".

Perante esta posição do organismo, a autarquia vila-condense considerou que as atuais instalações da unidade de saúde que serve os dois concelhos "estão claramente degradadas", defendendo ser "absolutamente necessário criar condições para o bom atendimento dos cerca de 200 mil utentes e para o desempenho dos excelentes profissionais que ali exercem funções".

"Não havendo um limite temporal para a decisão em relação a futuras instalações, continuamos a defender que, havendo um hospital novo e provido de excelentes condições, situado em Vila do Conde, como é o caso dos Hospitais do Senhor do Bonfim (HSB), deve ser devidamente ponderada com o proprietário a utilização de parte dos seus espaços, como hospital público, em regime de arrendamento (como acontece atualmente com os dois hospitais, alugados às Misericórdias), e assegurando total independência de funcionamento.", vincou Câmara Municipal vila-condense, através de comunicado.

A autarquia reiterou que tal seria "uma rápida solução intermédia, em excelentes condições de funcionamento, com evidentes vantagens para profissionais e utentes", e que travaria um eventual esvaziamento de valências da atual unidade.

"Seria também uma medida de prevenção relativamente a qualquer desenlace futuro, que venha de novo a colocar a inadmissível hipótese de transferência destes serviços para o Hospital Pedro Hispano, em Matosinhos", pode ler-se no documento.

Ora esta posição da Câmara vila-condense `choca` com o que é defendido pelo presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, Aires Pereira, que preconiza as obras de melhoramento e ampliação do atual Centro Hospitalar, dispondo, não só, verbas do município para tal, como cedendo instalações contíguas para tal.

Recorde-se que há três semanas a Assembleia Municipal da Póvoa de Varzim aprovou uma moção de apoio à realização de obras de ampliação do Centro Hospitalar local e de recusa da deslocalização de valências para unidades privadas ou fora dos concelhos.

Já a Assembleia Municipal de Vila do Conde também aprovou uma moção sobre o tema, na última quarta-feira, mas defendendo a construção de raiz de um novo Centro Hospitalar que sirva o concelho e também o município vizinho da Póvoa de Varzim.

Tópicos:

Hospitalar Póvoa, Póvoa Varzim Aires,

A informação mais vista

+ Em Foco

Veja ou reveja aqui os debates na RTP com os candidatos às presidências das câmaras municipais das 18 capitais de distrito de Portugal Continental. A série é transmitida até 14 de setembro.

    Natalidade, envelhecimento, turismo, agricultura, emigração, pobreza, saúde, desigualdades. A Antena 1 fixa o país em duas dezenas de retratos no caminho para as eleições autárquicas.

      Sem possibilidade de receber os ordenados em euros ou de pagar as contas em Portugal, muitos recorrem ao mercado negro para trocar dinheiro.

      É portuguesa a única equipa do mundo que faz o despiste genético de cancro do estômago. Os investigadores viram agora renovado o financiamento.