Abel Matos Santos demitiu-se da comissão executiva do CDS-PP

por RTP
Abel Matos Santos no último congresso do CDS RTP

A RTP sabe que a demissão foi entregue por carta ao líder do partido Francisco Rodrigues dos Santos.

Em comunicado, a Comissão Excutiva confirmou, ao final da tarde, que "na sequência da primeira reunião (...) Abel Matos Santos apresentou a sua renúncia ao cargo de vogal que ocupava neste órgão, não permitindo, deste modo, que as suas afirmações passadas possam suscitar dúvidas sobre a tradição política em que o CDS, inquestionavelmente, se insere".
Em causa as afirmações que Abel Matos Santos fez, de 2012 a 2015, em várias publicações na rede social Facebook, com elogios a Salazar e à PIDE. Apelidou também de "agiota dos judeus" o cônsul de Portugal em Bordéus Aristides Sousa Mendes, que ajudou a salvar milhares de judeus durante a II Guerra Mundial.

Matos Santos reagiu, quando estas declarações foram conhecidas, sem negar a autoria das frases. Ao semanário Expresso afirmou que "expurgar frases desses textos e descontextualizá-las não é um exercício sério".

Já está tarde, o presidente do CDS-PP tinha assinalado que o partido sempre rejeitou "quaisquer regimes totalitários" e está ao lado daqueles que "acreditam na democracia e nas liberdades". Francisco Rodrigues dos Santos falava aos jornalistas depois de ter sido recebido pelo cardeal-patriarca de Lisboa, Manuel Clemente, em Lisboa.

"A comunidade judaica sabe que há um partido em Portugal que sempre defendeu o Estado de Israel, sempre esteve do lado daqueles que acreditam na democracia, nas liberdades, um partido que sempre se afirmou contra quaisquer regimes totalitários, em defesa da autodeterminação dos povos", afirmou o líder centrista. "Nessa medida, o CDS acompanha desde sempre essas mesmas causas e subscreve todo o seu legado e a sua história, que é absolutamente clara nesta matéria", frisou.

Abel Matos Santos entrou na corrida à sucessão da ex-presidente do partido, Assunção Cristas, mas não chegou a levar a sua moção a votos, tendo desistido a favor do atual presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos.

O psicólogo-clínico integrou as listas apresentadas pelo atual líder, tendo sido eleito em congresso vogal da comissão executiva, que agora abandona.


Tópicos
pub