Fernando Negrão é candidato à presidência da bancada parlamentar do PSD

| Política

|

Fernando Negrão afirma que tem condições para avançar para a presidência da bancada parlamentar do PSD, apesar de não esperar consensos a 100 por cento, e garante que está preparado para qualquer resultado no dia 22. O candidato à sucessão de Hugo Soares afirma que já falou com Rui Rio, o presidente eleito do PSD, que mostrou agrado com a candidatura.

“Sou candidato, porque acho que tenho condições para o efeito e muitos anos já desta atividade levam-me a ter a experiência para achar que posso apresentar, como fiz, a minha candidatura”, afirmou Negrão.


O candidato à liderança da bancada parlamentar do PSD confirmou que já falou com Rui Rio, “por duas razões. Por razões de cortesia, devia falar com o Dr. Rui Rio que é presidente eleito do PSD, e também porque o líder do grupo parlamentar deve e tem que articular com a direção do partido”.

Fernando Negrão confirmou ainda que o primeiro vice-presidente da bancada será o deputado Adão Silva. “O Dr. Rui Rio obviamente que mostrou agrado com a minha candidatura”, realçou.

“Eu tive uma conversa com o Dr. Rui Rio sobre o grupo parlamentar, em que falámos e discutimos a vida parlamentar e o grupo parlamentar. De seguida eu apresentei a minha candidatura, depois de terem sido convocadas eleições”, esclareceu.

Fernando Negrão espera ter “os votos necessários para ser eleito presidente do grupo parlamentear”. “Se não, não me teria candidato”.

“Acho que os consensos são muito importantes, mas quem almeja os cem por cento, almeja um consenso que por vezes é falso”, sublinhou.

O candidato defendeu que a “ideia é criar uma direção do grupo parlamentar que seja coeso e determinado no seu trabalho político”.

Quanto à votação, diz que está "preparado obviamente para tudo. Quem se candidata a umas eleições tem que estar preparado para qualquer resultado. E eu estou preparado para qualquer resultado”.

Fernando Negrão defende que nunca faltou “humildade democrática às direções da bancada parlamentar do PSD”.

“Se for eleito assumirei imediatamente o exercício das minhas funções. Se não for eleito, naturalmente que tirarei as consequências disso”, rematou.
Quem é Fernando Negrão?
Fernando Mimoso Negrão, 62 anos, nasceu em Angola em 29 de novembro de 1955, é deputado desde 2002 e licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa.

No início desta legislatura, foi o candidato de PSD e CDS-PP à presidência da Assembleia da República, mas foi derrotado por Fedro Rodrigues, conseguindo 108 votos contra 120 do socialista.

Atualmente, preside à Comissão eventual da Transparência e, na anterior legislatura, destacou-se na presidência da Comissão de Inquérito ao Banco Espírito Santo.

Juiz de carreira e oficial da Força Aérea Portuguesa, Fernando Negrão foi ministro da Segurança Social, da Família e da Criança em 2004, no Governo de Pedro Santana Lopes, tendo antes presidido ao Instituto Português da Droga e da Toxicodependência (IPDT).

No curto segundo Governo de Passos Coelho, em 2015, exerceu por menos de um mês as funções de ministro da Justiça.

O social-democrata foi também diretor-geral da Polícia Judiciária (PJ) entre novembro de 1995 e março de 1999, cargo do qual se demitiu na sequência de suspeitas de violação do segredo de justiça no caso Moderna. O processo viria depois a ser arquivado pelo Tribunal da Relação.

Foi também vogal do Conselho Superior da Magistratura e pertenceu à Associação Sindical dos Juízes Portugueses.

Fernando Negrão foi eleito deputado pela primeira vez nas listas do PSD em 2002, pelo círculo eleitoral de Faro, em 2005 e 2009 por Setúbal e em 2011 e 2015 por Braga, tendo chegado a ocupar uma das vice-presidências da bancada parlamentar 'laranja'.

No plano autárquico, Negrão foi candidato pelo PSD à Câmara Municipal de Setúbal nas eleições de 2005 e, nas intercalares de 2007, à Câmara Municipal de Lisboa.

Tópicos:

Hugo Soares, PSD, Rui Rio, bancada parlamentar, Fernando Negrão,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em 9 de abril de 1918, a ofensiva alemã varre a resistência portuguesa. O dossier que se segue lança um olhar sobre o antes, o durante e o depois.

    Quase seis décadas depois, a Presidência de Cuba deixou de estar nas mãos de um membro do clã Castro.

    Porto Santo tem em curso um projeto para se transformar na primeira ilha do planeta livre de combustíveis fósseis.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.