FESAP pede acesso dos funcionários públicos a licença sabática para estudar

por Alexandre sergio

A medida está no acordo que foi assinado há dois dias em Concertação Social entre o Estado, as confederações patronais e a UGT. O governo quer criar a possibilidade de trabalhadores recorrerem a uma licença sabática totalmente paga pelo Estado através dos fundos europeus.

Em declarações à Antena1, José Abraão, presidente da FESAP, diz esperar que a medida venha a abranger os trabalhadores da Função Pública e que comece a ser aplicada no prazo de 90 dias.

Isabel Camarinha, líder da CGTP - que não assinou o acordo - lamenta que trabalhadores não efetivos e por turnos tenham ficado de fora do âmbito dessa licença sabática.
pub