Livre preocupado com abstenção de Joacine Moreira na condenação de ataque à Palestina

por RTP

Há um mal estar no partido Livre por causa de um dos votos de sexta-feira de Joacine Katar Moreira no Parlamento. O partido demarca-se da deputada sobre a questão palestiniana e assume-se preocupado. Em causa está a abstenção de Joacine na votação desta sexta-feira, apresentada pelo PCP, de condenação da nova agressão de Israel a Gaza e da declaração da Administração Trump sobre os colonatos israelitas. A deputada já reagiu e garante que a maneira como votou se deveu a "dificuldades de comunicação".

É o momento que marca a polémica no interior do Livre. A abstenção de Joacine Katar Moreira abanou o partido que se revê no texto apresentado pelo PCP.

A direção do partido diz-se preocupada com o sentido de voto da única deputada e assume que Joacine foi contra o programa eleitoral e tomadas de posição oficiais que defendem a autonomia do território e o reconhecimento do Estado da Palestina.
Deputada justifica voto no Parlamento

Num comunicado partilhado nas redes sociais, a deputada do Livre afirmou responsabilizar-se pelo voto que fez na sexta-feira mas que existi dificuldade de comunicação com a direçãodo partido.

Ver esta publicação no Instagram

Comunicado de imprensa.

Uma publicação partilhada por Joacine Katar Moreira (@joacine_katar_moreira) a



"Assumo total responsabilidade pelo voto e devo dizer que, apesar de a abstenção não constituir um voto a favor ou um voto contra, ela não representou aquilo que tem sido desde sempre a minha posição pública sobre esta temática".

Joacine Katar Moreira afirmou mesmo que realizou um voto contra si própria, já que acredita na causa palestiniana. A votação "não se deveu a uma falta de consciência ou descaso desta grave situação, mas à dificuldade de comunicação" com a direção de um partido do qual é "parte integrante".

No mesmo comunicado, a deputada do Livre saudou todos os partidos que apoiam a causa palestiniana e dirigiu um pedido de "desculpa a todas as pessoas palestinianas e todas as outras que se sentiram lesadas e defraudadas".
pub