Ministra acusa provedora da Santa Casa de tratar "cancro financeiro" com paracetamol

por RTP

A Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social diz que a decisão de exonerar Ana Jorge do cargo de provedora da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa não foi política, mas sim resultou da falta de confiança na gestão.

Maria do Rosário Palma Ramalho foi ouvida no Parlamento e afirmou que a provedora encontrou um "cancro financeiro" na instituição, que preferiu tratar com paracetamol.
pub