Von der Leyen na Grécia para acompanhar medidas de apoio da UE

por Lusa
Alexandros Avramidis, Reuters

A presidente da Comissão Europeia desloca-se na quinta-feira à Grécia, acompanhada da comissária dos Assuntos Internos, para observar no terreno a implementação das medidas de apoio da UE para fazer face à crise migratória na fronteira com a Turquia.

O executivo comunitário anunciou hoje que a deslocação de Ursula von der Leyen e da comissária Ylva Johansson visa em particular acompanhar a gestão da situação relativa às mais de 5.500 crianças e adolescentes não acompanhados que se encontram em centros de receção nas ilhas gregas.

Durante a sua deslocação à Grécia, Von der Leyen visitará o centro de receção e identificação de Eleonas, reunir-se-á com o primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, e encontrar-se-á com representantes do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), da Organização Internacional para as Migrações e da sociedade civil grega, aponta o executivo comunitário.

A visita coincide com o lançamento de uma operação de intervenção rápida por parte da Frontex, a agência europeia da guarda de fronteiras e costeira, para apoiar a Grécia na resposta à pressão na zona fronteiriça com a Turquia, depois de Ancara ter decidido `abrir as portas` da Europa aos migrantes e refugiados que se encontram no país, muitos dos quais oriundos da Síria, numa aparente tentativa de pressionar a Europa, bem como os aliados na NATO, a assegurar-lhe um apoio ativo no conflito que a opõe à Rússia e à Síria.

Portugal foi um dos Estados-membros da União Europeia que respondeu favoravelmente ao apelo de Von der Leyen para que sejam acolhidas pessoas em situação particularmente frágil na Grécia, designadamente menores.

Na segunda-feira, o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, disse desconhecer ainda o número concreto de menores que serão acolhidos por Portugal, pois tal dependerá do número de países que participarem nessa operação.

Além de Portugal, também manifestaram disponibilidade França, Luxemburgo, Finlândia e Alemanha.

O Ministério da Administração Interna anunciou, por outro lado, que Portugal disponibilizou, através da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), 600 cobertores, 300 camas de campanha, 300 almofadas e 300 `kits` de higiene.

Milhares de migrantes tentam atravessar a fronteira entre a Turquia e a Grécia desde que o Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, anunciou, no final de fevereiro, que iria deixar de respeitar o acordo de março de 2016 com a UE, no qual se previa a permanência de migrantes na Turquia, em troca de apoio financeiro europeu a Ancara.

Ao todo, dos mais de 42 mil migrantes retidos nas ilhas gregas, cerca de 5.500 são menores desacompanhados.

 

Tópicos
pub