Lei de Bases da Saúde desvia atenções dos problemas

| Saúde

Miguel Guimarães lança duras críticas à forma como está a ser discutida a Lei de Bases da Saúde
|

O bastonário da Ordem dos Médicos (OM) acusa os políticos de falta de vontade de resolver os problemas do Serviço Nacional de Saúde e considera que o enfoque na alteração da Lei de Bases serviu para "desviar atenções".

Quando cumpre dois anos de mandato, Miguel Guimarães entende que o SNS tem estado “quase paralisado” e considera até que estará pior do que há 20 anos, destacando que é a evolução da medicina que tem contribuído para “dar um certo equilíbrio” à capacidade de resposta do Serviço Nacional de Saúde.

“Não há vontade de quem está na política de resolver o problema das pessoas que trabalham no SNS nem a capacidade de resposta que os serviços de saúde podem dar aos cidadãos”, afirmou aos jornalistas à margem de um encontro onde apresentou propostas da Ordem.

O representante dos Médicos dá o exemplo do enfoque que foi dado à alteração da Lei de Bases da Saúde: “Parece que a Lei de Bases é a salvação do SNS”.

“Não há nada na atual Lei de Bases que impeça o Governo de apostar fortemente no SNS e dar aos cidadãos o que eles querem ou que impeça de regularizar as profissionais na área da saúde”, argumentou.

Para Miguel Guimarães, “é uma forma de desviar as atenções numa altura em que o SNS enfrenta uma grave deficiência de investimento, ao nível de equipamentos e de capital humano”.


Declarações de Miguel Guimarães a propósito de um encontro onde foram apresentadas propostas da ordem dos médicos.

Entre elas está a duração das consultas de medicina geral e familiar, que deve ser entre os 30 e os 45 minutos.

Assim como a definição de tempos mínimos de intervalo entre cada consulta.

Em declarações à agência Lusa Miguel Guimarães sublinha que estas medidas implicam um reforço de meios nos hospitais e nos centros de saúde, e que o objetivo é melhorar o atendimento ao utente.



Uma das propostas apresentadas pela Ordem dos Médicos a propósito de esta segunda-feira se assinalar o dia do doente.

A informação mais vista

+ Em Foco

Entre 1999 e 2002 nasceram três novos bairros. Passadas duas décadas, muitos residentes dizem-se abandonados.

Entrevista da correspondente da RTP em França, Rosário Salgueiro.

Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

    Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.