Web Summit: O maior evento de tecnologia da Europa em Lisboa

| Tecnologia

|

Durante quatro dias, mais de mil oradores procuram inspirar e dar conselhos a empreendedores de todo o mundo na Web Summit. Em Lisboa esperam-se por estes dias milhares de participantes que procuram uma oportunidade de negócio no maior evento de tecnologia da Europa. Desde 2010, as empresas portuguesas que se apresentaram neste evento já angariaram mais de 78 milhões de euros.

Fundada em 2010 por Paddy Cosgrave e os cofundadores Daire Hickey e David Kelly, a Web Summit é um dos maiores eventos de tecnologia, inovação e empreendedorismo do mundo. Em menos de seis anos passou de uma equipa de apenas três pessoas para uma empresa com mais de 150 colaboradores.

O maior evento de tecnologia da Europa tem lotação esgotada. São esperados milhares de participantes à procura de uma oportunidade de negócio.

De acordo com os dados oficiais disponibilizados, desde 2010 as startup's portuguesas que se apresentaram na Web Summit já angariaram mais de 78 milhões de euros.


Na Web Summit vão estar 150 empresas portuguesas. Algumas repetem a presença e consideram que a cimeira é uma porta aberta aos negócios baseados na tecnologia e na internet.

Num mundo que se quer mas rápido, eficaz e organizado há uma uma ajuda para ir às compras. A Youbeep ajuda-o no hipermercado para sair a voar.

Esta é uma startup do Porto que já esteve na Web Summit o ano passado e saiu de lá com contactos que resultaram em negócio.

A aplicação permite ler e registar os códigos de barras dos produtos que deseja. Assim, pode ir controlando o preço total do que já tem no cesto. Depois, há uma caixa dedicada onde só tem de pagar. Para não perder tempo, só alguns produtos são verificados para controlo de fraude.

A cimeira tecnológica, que nasceu em 2010 na Irlanda, vai manter-se em Lisboa até 2020 e poderá ficar por mais dois anos. Este ano, a Web Summit decorre entre 6 e 9 de novembro no Altice Arena, em Lisboa.
Vender uma nova imagem
O Governo quer apostar na Web Summit para vender uma nova imagem de Portugal. O ministro da Economia espera que esta segunda edição na capital lusa seja um sucesso e contribua para trazer investimento ao país.

"A aposta é que seja um sucesso ainda maior do que foi o ano passado (...) Mas uma das grandes apostas é a Venture Summit, que traz cá mais de 1.200 investidores de grande nível. A grande aposta é que estes investidores, para além destas empresas tecnológicas, olhem em particular para o sistema tecnológico português e olhem para o bom momento que a economia portuguesa está a atarvessar e decidam também fazer outros investimentos em Portugal", disse à RTP Manuel Caldeira Cabral.

"Penso que se estas 60 mil pessoas vêm de todo o mundo a pagar bilhetes de entrada que vão dos mil aos 25 mil euros é porque consideram que este evento é realmente relevante", explicou o ministro da Economia.

"A Web Summit contribuiu muito para mudar a imagem que Portugal tem no estrangeiro (...) O que queremos é que esta nova imagem que se está a criar de Portugal no mundo, que está a pôr Portugal na moda, que está a pôr Portugal no mapa, possa servir para que mais investimentos venham para Portugal, com emprego qualificado", concluiu Caldeira Cabral.

No programa dos próximos dias há mais de mil oradores que procuram inspirar e dar conselhos a empreendedores de todo o mundo. Há também empreendedores à procura de investimento.

Não só no PITCH - a iniciativa que leva a palco duzentas empresas à procura de financiamento - mas também pelos corredores e eventos paralelos da Web Summit. É o caso de um empreendedor da Alemanha que quer lançar uma aplicação para tornar o acordar menos difícil.Programa para diagnosticar doenças do cérebro
Cento e cinquenta empresas portuguesas recém-criadas foram selecionadas por um programa do governo para participar na Web Summit. A NeuroPsyCAD está a desenvolver um programa para identificar precocemente as doenças que afetam o cérebro.

A partir de ressonâncias magnéticas, Hugo Ferreira e os sócios analisam as características das diferentes doenças que afetam o cérebro. Procuram identificar padrões para ajudar os médicos a traçar um diagnóstico mais preciso e precoce.

"Desenvolvemos um método que permite extrair essas características das imagens. Treinamos estas características num conjunto normativo de grandes bases de dados que permite treinar algoritmos, aprendizagem matemática, inteligência artificial, que constroem esses modelos de doença", disse à RTP Hugo Ferreira, co-fundador da NeuroPsyCAD.

Os investigadores da Universidade de Lisboa prometem mais fiabilidade e menos custos do que as práticas clínicas habituais que permitem definir diagnósticos das doenças neuropsiquiátricas.

“Conseguimos apresentar ao médico um relatório com a percentagem, a probabilidade daquela pessoa ter Alzheimer ou Parkinson, conforme a pergunta do médico respondemos com um número. É esta a grande vantagem. Já se começa a fazer em oncologia e genética mas em neurologia e psiquiatria ainda não se faz", explicou a investigadora Diana Palma à RTP.

Para levar aos médicos um serviço inovador de apoio ao diagnóstico, Hugo Ferreira e os sócios criaram este ano a empresa NeuroPsyAi.

"Aquilo que nós vamos à procura é de contatos com investidores internacionais para lhes podermos mostrar a evolução do nosso projeto e o potencial que tem a nível global, para numa fase posterior isso se poder concretizar num investimento”, concluiu ainda Hugo Ferreira.

Os cientistas estimam que o serviço de apoio à decisão médica da NeuroPsyAi esteja no mercado até 2020.
Mais dois mil bilhetes a preços reduzidos para jovens
A organização da Web Summit disponibilizou a venda de mais dois mil bilhetes, a preços reduzidos para jovens entre os 16 e os 23 anos, depois de os dez mil bilhetes disponibilizados inicialmente terem esgotado.

No âmbito da campanha Inspire, mais de 100 mil jovens inscreveram-se para ter acesso a uma das dez mil entradas vendidas a 7,5 euros para a conferência de tecnologia e inovação, que decorre entre 6 e 9 de novembro, em Lisboa.

Os bilhetes Inspire darão acesso às conferências que decorrem no palco principal, mas apenas por meio-dia.

O fundador e presidente executivo da Web Summit, Paddy Cosgrave, citado pela Lesa, explicou aquando da apresentação deste programa que o objetivo é criar rotatividade na assistência e evitar cadeiras vazias, já que a organização notou que havia jovens que não conseguiam ir durante o dia inteiro por terem aulas ou outros compromissos.
Segurança reforçada
Em relação às medidas de segurança previstas para a Web Summit, a Polícia de Segurança Pública (PSP) adiantou que vai “incrementar um policiamento que prima pela visibilidade”, assim como um maior controlo das entradas.

Quanto ao trânsito na cidade, o local com mais restrições é o Parque das Nações, onde as autoridades irão redobrar a atenção.

Também o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) reforçou, a partir desta segunda-feira, o efetivo no aeroporto de Lisboa devido aos milhares de pessoas que são esperadas para a Web Summit.

"Face ao número de chegadas e partidas pelo aeroporto de Lisboa, previsto aquando da realização do Web Summit, o SEF adotou várias medidas a nível interno, designadamente o reforço de recursos humanos no aeroporto de Lisboa durante o período de 04 a 10 de novembro", precisou este serviço de segurança à Lusa.



Tópicos:

Lisboa, Portugal, cimeira, tecnologia, Web Summit,

A informação mais vista

+ Em Foco

Uma sondagem da Universidade Católica aponta para o fim da hegemonia laranja na Madeira, apesar da vitória do PSD nas regionais (38%) do próximo domingo.

Na semana em que se assinala o início da II Guerra Mundial, a RTP conta histórias de portugueses envolvidos diretamente no conflito.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.